Cleitinho não poderá morar na ALMG

Da Redação

O ex-vereador, e agora deputado estadual, Cleitinho Azevedo (PPS) não poderá morar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), como pretendia. No fim de dezembro, o parlamentar havia solicitado à direção da Casa para fazer adaptações em seu gabinete, e dormir no local. A intenção do deputado era instalar um chuveiro e colocar uma cama. Em entrevista ao jornal O Tempo, Cleitinho disse que pretendia economizar com a medida, e não utilizar o auxílio-moradia concedido aos deputados, no valor de R$ 4.377,73 por mês.

— Eu moro em Divinópolis e não vou usar o auxílio-moradia. Banheiro no gabinete já tem, então, é só instalar um chuveiro. E aí eu vou pegar uma parte para fazer um espaço para mim com uma cama, e um gabinete. Fica até bom para mim, porque o dia que eu precisar ficar eu pego e durmo aqui mesmo. Aí eu acordo e já estou na Assembleia — justificou.

Porém, após analisar o pedido feito pelo deputado, a direção da Assembleia alegou que é inviável o parlamentar morar na Casa. De acordo com o Poder Legislativo estadual, não há previsão de moradia de parlamentares na Casa. Ainda de acordo com a direção da ALMG, o horário de funcionamento do Legislativo é das 6h às 22h, e após esse horário, por medida de economia, são desligados elevadores e iluminação.

Ainda segundo a direção do Legislativo mineiro, caso Cleitinho faça uma solicitação formal para moradia, a decisão caberá à Mesa Diretora, mas a instituição já adiantou que o licenciamento dos prédios da Assembleia não é para uso residencial. 

— Qualquer mudança nesse arranjo exigiria novo projeto e novo licenciamento. A legislação permite que o parlamentar peça reembolso da despesa com moradia, caso ele deseje — informou a ALMG.

Retirada

Após a negativa da direção da Assembleia Legislativa, o ex-vereador disse que continuará abrindo mão do auxílio-moradia, e que quando precisasse ficar em Belo Horizonte “arrumaria um lugar para ficar”. Cleitinho afirmou ainda que pretende propor o fim do auxílio-moradia e do auxílio-paletó.

— O gabinete é muito confortável e não via problema algum em passar a noite, mas, se eles não deixam, arrumo outro lugar quando precisar. O importante disso tudo é entender que parlamentares não precisam de auxílio-moradia — reforça.

Milhões

Em 2017, a ALMG pagou mais de R$ 2 milhões em auxílio-moradia para os deputados. O valor é pago também para quem tem casa própria em Belo Horizonte.

Comentários
×