Cinema Falado destaca o clássico "A Harpa da Birmânia"

1 - Lançamento da Semana 

*PROFESSOR MARSTON E AS MULHERES MARAVILHAS (PROFESSOR MARSTON AND THE WONDER WOMEN). EUA. 2017. DIR: ANGELA ROBINSON. ELENCO: LUKE EVANS, REBECCA HALL, BELLA HEATHCOTE. DRAMA. 108 MIN.

A história bombástica do professor e psicólogo William Moulton Marston (Evans) é contada aqui nesse filme baseada em fontes fidedignas que contaram tudo à diretora Angela Robinson e ela resolveu fazer sua interpretação livre dos acontecimentos. Mas por que esse assombro? Segundo as boas e más línguas o professor Marston manteve um relacionamento amoroso com sua esposa Elizabeth (Hall), também psicóloga e inventora, e sua amante Olive Byrne (Heathcote), sua ex- aluna e acadêmica, mas isso na década de 30, um escândalo na época. Marston também foi um inventor e ajudou a criar o detector de mentiras e esse relacionamento foi a luz que lhe deu para criar seu personagem mais famoso, a Mulher Maravilha, através das idéias feministas de suas duas mulheres, e sua revista em quadrinhos foi um dos maiores sucessos na época. Só que ele criou a heroína com muitos toques de sexo, de sangue, de ação e psicologia, trazendo a o mundo a mensagem do poder feminino, fato esse que trouxe grandes problemas a ele vindos das ligas de decência. Mas no filme também acompanhamos a desventura do trio que paga seu preço por sua opção sexual, já que a ligação entre as duas mulheres acaba ficando até mais forte com o tempo, e sabemos que depois da morte de Marston as duas viveram 38 anos juntas e criaram os filhos que tiveram com ele. Com atuações convincentes dos atores aliada à beleza das duas mulheres, Rebecca e Bella, a mensagem que fica ao final é que podemos ser o que quisermos e usar a teoria DISC que Professor Marston tentou ensinar durante todo o filme: um pouco de dominação, submissão, agressão ou passividade nos relacionamentos, desde que usados com parcimônia, não faz mal a ninguém, segundo o professor.

2 - Clássico do Cinema 

*A HARPA DA BIRMÂNIA (THE BURMESE HARP). JAPÃO. 1956. DIR: KON ICHIKAWA. ELENCO: RENTARÔ MIKUNI, SHÔJI YASUI. DRAMA. 116 MIN.

Uma visão vinda dos derrotados da Segunda Guerra, como foram os japoneses e ao mesmo tempo um libelo contra a guerra insana que nunca para de ocorrer em nosso planeta. Acompanhamos uma companhia japonesa perdida na selva de Burma (hoje chamada também de Mianmar) sem saber que a guerra tinha acabado  e que termina capturada pelo exército aliado, e a pedido deles é destacado um de seus soldados, Mizushima (Yasui) para persuadir outra tropa a entregar as armas. Com a recusa deles e o conseqüente massacre infligido à tropa, Mizushima decide não retornar à sua pátria, se vestir de um monge budista e enterrar todos seus companheiros que ficaram jogados ao léu, devotando sua vida a essa tarefa. Um filme de guerra sem grandes ações, mas com grandes gestos de gentileza, de expiação e de exaltação ao canto, feito pelos soldados para tentar achar o companheiro perdido. Filme atemporal.

3 - Netflix 

*O MECANISMO. BRASIL. 2018: CRIAÇÃO: JOSÉ PADILHA, ELENA SÓAREZ. DIR: MARCOS PRADO, JOSÉ PADILHA. ELENCO: SELTON MELLO, CAROLINE ABRAS, ENRIQUE DIAZ. SÉRIE. 480 MIN.

Série polêmica que dividiu críticas no país devido a sua proximidade com o grande escândalo da Operação Lava Jato, que até hoje tem feito estragos na vida da nação, está disponível ao público na Netflix para sua avaliação. Uma ficção baseada na realidade onde fatos reais se misturam com a imaginação dos autores, acompanhamos a luta de Marco Ruffo (Mello), um delegado aposentado da Polícia Federal para investigar um doleiro de nome Ibrahim (Diaz) que tem carta branca para lavar dinheiro das autoridades e empreiteiros. Quando ninguém esperava mais nada, surge um caso numa lava jato que traz à tona um caso de corrupção dentro da Petrobrás envolvendo as empreiteiras e o governo e essa ponta do iceberg vai revelar um dos momentos mais tristes pelo qual o país viveu, onde as investigações tomam um rumo inesperado para todos. Com grandes atuações de Selton Mello e Caroline Abras, que narram a história e uma narrativa que pede a atenção do público, esse seriado vai ficar marcado na história cinematográfica do Brasil por sua polêmica e seu desfecho, que até agora é imprevisível.

4 - Música da Semana 

Enquanto escrevia essa coluna fui aproveitar para ouvir o álbum novo do guitarrista Jimi Hendrix, que morreu em 1970 e até hoje tem material descoberto dos milhares que gravou. O álbum chama-se BOTH SIDES OF THE SKY e merece ser ouvido. Música da semana: “Manish Boy” de Muddy Waters.

 

Otávio Paiva
www.deltadvdvideo.com.br

 

Comentários
×