Cinema Falado destaca filme "Uma Jornada Inesquecível"

1. Lançamentos da semana

UMA JORNADA INESQUECÍVEL (COMING THROUGH THE RYE). EUA. 2015. DIR: JAMES STEVENS SADWITH. ELENCO: ALEX WOLFF, STEFANIA LAVIE OWEN, CHRIS COOPER. DRAMA. 97 MIN.

Todo adolescente que leu o livro “O Apanhador no Campo de Centeio”, clássico de J. D. Salinger lançado em 1951, foi tocado pela história de seu herói, Holden Caulfield, um jovem revoltado com o vazio da sociedade de consumo e com a insensibilidade dos adultos que aceitam a vida tal como ela é. Esse filme é uma homenagem a todos que passaram por esse rito de iniciação e inicia em 1969 com o sensível rapaz Jamie Schwartz (Wolff) vivendo seu momento difícil numa escola interna, completamente desconectado dos colegas e professores, e seu único intento é fazer o papel de Holden Caulfield, numa peça que escreveu baseada no livro de Salinger. Depois de muita briga com a turma, Jamie resolveu fugir e ir visitar Salinger (Cooper) no seu refúgio para lhe pedir autorização para fazer a peça e a caminho da viagem se encontra com Deedee Gorlin (Owen), uma colega de escola que gosta dele e resolve levá-lo de carro para conhecer seu guru. Essa viagem vai ser uma revelação em todos os planos para eles, da descoberta sexual e do amor ao verdadeiro sentido da vida, e ali Jamie vai descobrir que o escritor J. D. Salinger é também um ser cheio de contradições e limitações, que sofreu muito depois que ficou famoso e viu seu mundo invadido por pessoas como ele, que querem descobrir seu rumo. Um filme bacana de se ver com os filhos adolescentes que estão nessa busca, mas que serve para a gente pensar nas nossas decisões e no tanto que ainda precisamos caminhar para chegar a alguma verdade sobre o viver.

O INSULTO (L’INSULTE). LÍBANO. 2017. DIR: ZIAD DOUEIRI. ELENCO: ADEL KARAM, KAMEL EL BASHA, CAMILLE SALAMEH. DRAMA. 112 MIN.

A cultura libanesa não tem muito acesso na mídia e por isso é saudável quando uma produção cinematográfica chama a atenção do mundo, como esse filme que trata de um assunto explosivo que é a luta entre cristãos e palestinos por um lugar nesse planeta. Aqui acompanhamos Tony Hanna (Karam), um cristão fervoroso libanês que está consertando uma casa em Beirute e acidentalmente ao mexer num cano molha o palestino refugiado Yasser Salameh (El Basha), um engenheiro responsável pela obra na região. O incidente acaba virando uma confusão e um insulto dado na briga faz o caso ir para a corte, virando um rastilho de pólvora que envolve até o presidente do país, e a partir daí temos uma situação onde as paixões cegam as pessoas, fato que o diretor se equilibra bem para não ferir as suscetibilidades de ambos os lados. Essa produção disputou o Oscar de melhor filme estrangeiro e o ator Kamel El Basha acabou ganhando o prêmio de melhor ator no Festival de Veneza, e trazendo junto ao público a discussão sobre os nossos direitos e deveres, e que o único jeito de resolver nossos conflitos é através da conversa.

2. Documentário

MEMÓRIAS DE SALINGER (SALINGER). EUA. 2013. DIR: SHANE SALERNO. ELENCO: PHILIP SEYMOUR HOFFMAN, EDWARD NORTON, JUDD APATOW. 120 MIN.

Um documentário desses é feito para os aficionados pelo livro “O Apanhador no Campo de Centeio’, em inglês, “The Catcher in the Rye”, e mais ainda pelo seu autor Jerome David Salinger, pois o diretor em momento algum mostra os defeitos dele, mas enaltece até suas reclusões do mundo, seus casos com adolescentes e seu faro para o sucesso. Salinger foi um escritor norte-americano que depois de escrever alguns contos para revistas, sem grande repercussão, lançou em 1951 seu romance acima citado que se tornou um dos livros mais vendidos de todos os tempos e transformou seu herói Holden Caulfied num paradigma para todos os jovens sensíveis que não aceitavam a sociedade de consumo. Após o sucesso o escritor sentiu na pele os efeitos da fama e se recolheu a uma casa de campo no interior, passando o resto da vida refém de seu personagem, mas não teve como evitar a ida de pessoas lá para tentarem achar algo de místico em torno da lenda. Até o assassinato de John Lennon teve o envolvimento de Salinger, já que o assassino confesso, após disparar os tiros fatais jogou o livro ao lado do corpo do artista, dizendo que tinha sido influenciado por Caulfield. Um documentário que elucida muitos pontos e ajuda a quem for assistir ao filme acima citado, “Uma Jornada Inesquecível” a se situar e dá uma boa base para se repensar o papel do artista em nossa sociedade.

3. Música da semana

Enquanto escrevia essa coluna fui ouvir de novo o aclamado álbum da banda francesa Daft Punk “Randon Access Memories”. Música da semana: Lose Yourself To Dance.

Otávio Paiva
www.deltadvdvideo.com.br

Comentários
×