Cinema Falado destaca filme "O melhor professor da minha vida"

1-LANÇAMENTOS DA SEMANA

*O MELHOR PROFESSOR DA MINHA VIDA (LES GRANDS ESPRITS). FRANÇA. 2017. DIR: OLIVIER AYACHE-VIDAL. ELENCO: DENIS PODALYDÉS, ABDOULAYE DIALLO. COMÉDIA. 106 MIN.

Para todos que assistiram ao consagrado filme “Escritores da Liberdade” essa produção francesa trilha os mesmos caminhos, focando na questão da educação e na precariedade do ensino público universal. Acompanhamos a história do Professor François Foucault (Podalydés), um renomado mestre que leciona numa escola tradicional de Paris e debocha dos alunos que não acompanham seus pensamentos. Um dia ele se encontra com uma mulher encantadora que trabalha no Ministério da Educação e lhe confidencia que o grande problema da educação na periferia é a falta de experiência dos docentes, e ela o desafia a passar um ano numa escola desse perfil, e ele aceita só para agradar. Vai então passar por uma transformação ao ver in loco a situação do ensino, a questão da disciplina e os problemas que os alunos do subúrbio têm de enfrentar. Um filme interessante para se passar nas escolas daqui, onde topamos com essas mesmas dificuldades, além da falta de investimentos por parte do poder público. O ator Denis Podalydés é o grande diferencial dessa produção e nos ganha com sua atuação realista e sem maneirismos, nos fazendo lembrar de grandes professores que passaram por nossa vida.

2-CLÁSSICO DO CINEMA

*O ÍDOLO CAÍDO (THE FALLEN IDOL) REINO UNIDO. 1948. DIR: CAROL REED. ELENCO: RALPH RICHARDSON, MICHÈLE MORGAN, BOBBY HENREY. DRAMA. 95 MIN.

Passados 70 anos de sua filmagem, esse clássico continua prazeroso de assistir, mostrando a classe que o diretor Carol Reed imprimiu em sua carreira, com sua maneira revolucionária de filmar com grandes angulares suas produções. Baseado em um conto do escritor inglês Graham Greene, essa foi a primeira parceria dos dois que ainda fariam mais dois filmes juntos, com grande destaque para “O Terceiro Homem” onde estrelou no papel principal Orson Welles.  Philippe (Henrey) é um garoto sensível e filho de um diplomata que é ausente de casa em função de seu trabalho, e ele mais se afeiçoa ao mordomo Baines (Richardson), cuja amizade nasce dessa identificação com a solidão que ambos sentem, o garoto que não conheceu a mãe e vive como pai distante, enquanto Baines tem um casamento de fachada, vazio. Baines gosta de contar histórias heróicas que ele finge ter participado fazendo com que Philippe o veja como um ídolo, até o dia que a mulher dele morre de maneira suspeita e o garoto começa a suspeitar dele, mas faz de tudo para protegê-lo da polícia, inventando pistas mentirosas, que acabam complicando a vida do seu protegido. Interessante ver como o diretor trabalha a mentira na vida de uma criança, como sua inocência é manipulada pelas pessoas, e aqui cabe louvar o trabalho do garoto Bobby Henrey, que nos ganha logo na primeira cena.

3-DOCUMENTÁRIO

* ANNIE LEIBOVITZ: A VIDA ATRAVÉS DAS LENTES (ANNIE LEIBOVITZ: LIFE THROUGH A LENS. EUA. 2003. DIR: BARBARA LEIBOVITZ. ELENCO: PAULA ABDUL, ALAN YENTOB. 90 MIN.

Atenção todos os fotógrafos da região interessados em ver uma profissional super bem-sucedida na profissão: eis o filme que conta a história de Annie Leibovitz. Numa época em que a imagem está saturada em meio a tantos celulares digitais que vivem espocando flashes, descobrimos que a fotografia pode ser uma obra de arte poética, e que basta que cliquemos nossa sensibilidade para capturarmos o momento da magia. Annie conheceu o sucesso ainda jovem quando começou a trabalhar para a revista Rolling Stones no início de suas publicações no fim da década de sessenta. Foi lá que ela aprendeu a dosar sua sensibilidade, relatando ao mundo o auge da contracultura que assolava o país, através de seus músicos, poetas e escritores. O filme nos mostra as imagens mais famosas da fotógrafa, como as fotos de John Lennon e Yoko Ono nus, poucas horas antes do assassinato do mais famoso Beatle, além de depoimentos de pessoas famosas que foram fotografadas por ela, como Hillary Clinton, o bailarino Baryshinikov. Obrigatório para quem está interessado em fotografia e movimentos revolucionários da década de 60 e 70.

4-MÚSICA DA SEMANA

Enquanto escrevia essa coluna deixei tocando Sufjan Stevens, grande músico que concorreu ao Oscar desse ano. Música da semana: Mystery Of Love.

Otávio Paiva

www.deltadvdvideo.com.br

Comentários
×