Cinema Falado destaca filme "LBJ - A Esperança de Uma Nação"

Lançamentos

LBJ: A ESPERANÇA DE UMA NAÇÃO (LBJ). EUA. 2016. DIR: ROB REINER. ELENCO: WOODY HARRELSON, MICHAEL STAHL-DAVID, RICHARD JENKINS.  DRAMA. 98 MIN.

Houve um presidente norte-americano que pouco ficou na memória da história e por muito tempo caiu no ostracismo até ser novamente lembrado através do cinema com esse filme acima e “Até o Fim”, também lançado em 2016 e bem mais apreciado do que o filme do diretor Rob Reiner. O ótimo ator Woody Harrelson sofreu todos os dias da gravação para poder ficar com a cara de Lindon Johnson, o personagem que ele encarnou e que foi presidente entre os figurões John Kennedy e Richard Nixon, uma espécie de Michel Temer ensanduíchado no meio deles. O filme começa em 1959 quando LBJ disputou com John Kennedy a indicação do Partido Democrata para a presidência, perdida pelo primeiro diante do carisma de JFK, que era um político boa pinta,liberal e mulherengo, além de ter um ar de garoto que precisava de colo. Para a surpresa de todos Kennedy acabou convidando LBJ para Sr seu vice, e com a vitória na eleição de 1960, ele acabou sendo o elemento conservador e o freio para as decisões dos irmãos Kennedy que queriam introduzir um governo mais moderno . Com o assassinato inesperado de Kennedy em 1963 o país se viu nas mão de um presidente que tinha ligações perigosas com os retrógrados políticos do sul, mas ficou numa situação difícil e teve de seguir com a lei de direitos civis que Kennedy lutava para ser aprovada no congresso e conseguiu sua aprovação. O filme não mostra porém o papel de LBJ nos golpes militares que apoiou,incluindo o do Brasil, e passa uma imagem mais cor-de-rosa do que deveria daquele presidente que foi esquecido rapidamente pela população.Mesmo assim merece ser visto , pois o diretor Rob Reiner traz uma boa parte da história do século vinte na tela que merece ser estudada.

OS ÚLTIMOS EMBALOS DA DISCO (THE LAST DAYS OF DISCO). EUA. 1998. DIR: WHIT STILLMAN. ELENCO: CHLOË SEVIGNY, KATE BECKINSALE, CHRIS EIGEMAN. COMÉDIA. 113 MIN.

Para a turma que está com saudade dos tempos da discoteca esse filme é um bom testemunho dos últimos anos daquela febre que começou no meio dos anos 70 e findou no fim dos 80, para a tristeza de muitos e alívio de uma outra grande parte que já não agüentava mais tanto hedonismo e egolatria. Acompanhamos a história de duas garotas, Alice(Sevigny) e Charlotte(Beckinsale), saídas da faculdade e já trabalhando numa empresa de publicações de livros em Manhattan, ambas procurando um amor e um jeito de se acharem naquele mundo novo. Acabam encontrando esse mundo dentro da discoteca, então o centro da atenção mundial, coalhada de yuppies, aquela turma cheia da grana, viciada em cocaína, que só queria se divertir e se olhar no espelho, e é lá que elas vão descobrir o começo do fim de uma nova geração.

O diretor Whit Stillman fez um filme autobiográfico  onde um conta um pouco de seu passado nas pistas do Club 54,o mais badalado de todos os tempos, e aproveita para mostrar o quanto de preconceito era vivido na época, principalmente contra as mulheres, que eram assediadas o tempo todo. Mas o grande lance é poder ver as duas lindas atrizes, Chloë e Kate ainda nos seus vinte e poucos anos, arrasando ao som da discoteque, e com certeza muita gente vai se esbaldar junto. 

Comentários
×