Cinema Falado destaca filme Churchill

1-LANÇAMENTOS DA SEMANA

*CHURCHILL (CHURCHILL). REINO UNIDO. 2017. DIR: JONATHAN TEPLITZKY. ELENCO: BRIAN COX, MIRANDA RICHARDSON, JOHN SLATTERY. DRAMA. 105 MIN.

O mais famoso britânico de todos os tempos, Winston Churchill, voltou a ser lembrado nos últimos tempos com esse filme e “O Destino da Nação” que conferiu ao ator Gary Oldman o Oscar de Melhor Ator desse ano. Um homem controvertido na sua época, que contribuiu enormemente para derrotar a Alemanha na Segunda Guerra Mundial e logo após, perdeu as eleições, sempre haverá espaço para mostrar uma pequena faceta dele, e é o que faz o diretor Jonathan Teplitzky, focalizando um momento especial na guerra, dois dias antes da invasão da Normandia, em junho de 1944. As Forças Aliadas já estavam em posição na costa sul da Inglaterra para ocupar a Europa através da França, mas Churchill se opõe ferozmente a este ataque, com medo de repetir o mesmo desastre que tinha passado em 1915 na Primeira Guerra quando centenas de milhares de jovens perderam a vida nas praias de Gallipoli. Vemos um hesitante homem, exausto e deprimido, obcecado em deixar seu nome com grandeza, sendo atacado por seus próprios aliados como o presidente norte-americano Eisenhower. Não assistimos a cenas de guerra neste filme, mas apenas por trás das cortinas nos bastidores as manobras, no que foi muito criticado, pois os críticos sentiram falta de mais intensidade e menos palavrórios, mas a atuação de Brian Cox e espetacular e o discurso final de Churchill vai ficar para sempre marcado em nossa memória.

2-CINEMA BRASILEIRO

*CARAMURU-A INVENÇÃO DO BRASIL. BRASIL 2001. DIR: GUEL ARRAES, JORGE FURTADO. ELENCO: SELTON MELLO, CAMILA PITANGA, DÉBORAH SECCO. COMÉDIA. 85 MIN.

Ótimo filme que passeia pela fundação do nosso país, dirigido por Guel Arraes onde acompanhamos a saga do pintor português Diogo Álvares (Mello) que havia sido contratado para ilustrar os mapas que Pedro Álvares Cabral iria usar para sua viagem às Índias e ao ser seduzido por uma bela mulher, perde os mapas e é deportado. Para piorar sua situação, o navio em que vinha sofre um naufrágio e ele acaba chegando ao Brasil onde é recebido pelos indígenas, transformado em um mito e se envolve num triângulo amoroso com as índias Paraguaçu (Pitanga) e Moema (Secco) recebendo o nome de Caramuru. Com um visual moderno ao ritmo de videoclipe, uma música perfeita e atuações ótimas, este filme deveria ser utilizado sempre nas escolas.

3-NETFLIX

*JOE COCKER: MAD DOG WITH SOUL. REINO UNIDO. 2017. DIR: JOHN EDGINTON. ELENCO: JOE COCKER, PAM COCKER. DOCUMENTÁRIO. 90 MIN.

O cantor Joe Cocker ficou marcado no imaginário popular ao cantar a canção ícone dos Beatles, ”With A Little Help From My Friends” em 1969 no Festival de Woodstock, e depois disso teve uma carreira errática onde ficamos sabendo mais de suas bebedeiras do que sua arte, mas esse documentário recupera a imagem do grande artista que era. Sua vida turbulenta quase o levou à morte mas ele ressurgiu como uma fênix e assim o vemos na tela com suas próprias palavras onde raros arquivos são apresentados pela primeira vez, além de suas performances eletrizantes que marcaram várias gerações. Imperdível.

4-MÚSICA DA SEMANA

Enquanto escrevia essa coluna deixei tocando uma sessão especial de Joe Cocker. Música da semana: You are so beautiful.

Otávio Paiva

www.deltadvdvideo.com.br

Comentários
×