Cinema falado destaca documentário "Uma verdade mais inconveniente"

1 - LANÇAMENTOS DA SEMANA

*UMA VERDADE MAIS INCONVENIENTE (AN INCONVENIENT SEQUEL: TRUTH TO POWER). EUA. 2017. DIR.: BONNI COHEN, JON SCHENK. ELENCO: AL GORE GEORGE W. BUSH, DONALD TRUMP. DOCUMENTÁRIO. 98 MIN.

Onze anos atrás vimos aterrorizados ao documentário que o candidato democrata derrotado nas urnas, Al Gore, nos apresentou, mostrando os efeitos do aquecimento global na Terra e suas conseqüências para o nosso dia a dia. O projeto chamado “Uma Verdade Inconveniente” foi aclamado mundialmente e contribuiu para Al Gore inclusive ganhar o Prêmio Nobel da Paz, além de levar a estatueta do Oscar de melhor documentário. Passado esse tempo todo e precisando trazer de novo o holofote para si próprio, Al Gore convocou uma nova equipe e saíram dos palcos para conferirem in loco as condições atuais do planeta, e o retrato não é nada agradável, ao vermos as estatísticas apresentadas. Triste ver as geleiras na Groenlândia derretendo devido às temperaturas mais quentes, além de presenciarmos as enchentes em todos os lugares da Terra, incluindo Miami, sem contar os tsunamis, tufões e incêndios pipocando por todo lugar. Assistimos atônitos à reunião dos países para a Conferência de Clima de Paris de 2015, onde mais se conversa do que se toma decisão, apesar de vermos algumas idéias interessantes relacionadas à energia solar e aos carros elétricos, e aí nos lembramos que o insano novo presidente dos EUA, Trump, já comprometeu essa conferência, desqualificando-a. Louvável a intenção de Al Gore de nos apresentar suas preocupações, mesmo que queira faturar um pouco em sua imagem, mas o que nos aflige é a falta de coordenação entre todos os países para dar um basta a essa devastação que já tem um final infelizmente não feliz para o planeta. Necessário assistir e levar às escolas para que as novas gerações tomem o leme dessa questão e ajam ao invés de ficarem no eterno blá blá blá que nossa geração levou, sem resolver absolutamente nada.

2 - CLÁSSICO DO CINEMA

*O TERCEIRO HOMEM (THE THIRD MAN). REINO UNIDO. 1949. DIR: CAROL REES. ELENCO: JOSEPH COTTEN, ORSON WELLES, ALIDA VALLI. SUSPENSE. 104 MIN.

Um dos filmes que consta em todas as listas entre os melhores já feitos em todos os tempos, esse suspense todo filmado em preto e branco nunca fica datado e a cada sessão cresce seu valor entre seus fãs. Acompanhamos a história do norte-americano Holly Martins (Cotten), um novelista de pulp fiction que está sem dinheiro e aceita um convite de seu amigo Harry Lime (Welles) para um trabalho em Viena, Áustria, aonde chega e acaba de saber que seu amigo faleceu após um atropelamento. Não satisfeito com as explicações dos oficiais, Holly decide investigar a morte do amigo e aos poucos descobre fatos sobre a vida de Lime que sujam sua ficha limpa, e enquanto isso se aproxima da namorada que o amigo tinha deixado, Anna (Valli), pouco a pouco se apaixonando por ela. A trama nos leva a lugares surpreendentes que deixo ao publico para se deliciar com esse grande suspense que tem na pequena participação de Orson Welles seu ápice, na trilha sonora maravilhosa que ficou marcada pela cítara tocada por Anton Karas, na fotografia influenciada pelos filmes noir e pelos expressionistas alemães, todo seu brilho.

3 - NETFLIX

*WILD WILD COUNTRY. EUA. 2018. DIR.: CHAPMAN WAY, MCLAIN WAY. ELENCO: OSHO, MA ANAND SHEELA. SÉRIE. 6 EPISÓDIOS (66 MINUTOS CADA).

Uma série que me impressionou profundamente pois não estava ciente desses fatos que foram narrados e só me lembrava que houve um guru chamado Rajneesh muitos anos atrás e que fez muito sucesso entre alguns amigos, mas como não sou do tipo fascinado por essa mística, deixei de lado. Acontece que os fatos aqui vistos são todos verdadeiros e me intriguei com tudo, desde a história desse líder espiritual indiano chamado Bhaghwan Shree Rajneesh nascido em 1931 e falecido em 1990, que só agora viria saber que também se chamava Osho, e mais louco ainda, sua viagem para construir uma cidade mística no Estado do Oregon, Estados Unidos em 1981. Segundo o documentário ele levou sua trupe para esse lugar ermo chamado Antelope, e de repente no meio de caubóis apareceram vários malucos vestidos de laranja, tomando banho pelados e fazendo sexo á vista de todos, provocando assim uma reação agressiva por parte dos nativos que moravam lá por anos. Uma história que só vendo para crer no que virou, pois nem como ficção seria provável, mas as disputas que ocorreram e o desenlace é surpreendente, e aqui não farei nenhum juízo sobre religião, pois não é minha praia, mas vale a pena ver essa saga.

4 - MÚSICA DA SEMANA

Enquanto escrevia essa coluna fui curtir o último álbum da cantora britânica Lisa Stansfield, “Deeper”. Música da semana: Billionaire.

Otávio Paiva

www.deltadvdvideo.com.br

Comentários
×