Cidade ultrapassa 100 casos confirmados de coronavírus

Matheus Augusto

Divinópolis viveu sua primeira semana com o comércio parcialmente aberto e, pouco a pouco, tenta voltar à normalidade, mas, se depender dos números do coronavírus na cidade, está difícil. A Secretaria de Saúde (Semusa), em dados atualizados ontem, registrou 1.513 notificações do novo coronavírus (covid-19). Desse total, 153 foram descartados e 101 confirmados ou seja, 1.259 pacientes com o quadro sintomático para a doença não foram testados ou ainda não receberam o resultado. A cidade permanece com uma morte. 

O relatório também aponta 20 pessoas com os sintomas da doenças internadas no setor de enfermaria e outras 13 em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs); 857 foram orientadas a permanecer em isolamento domiciliar pelo período de transmissibilidade da doença (14 dias).

Os leitos de UTI no Sistema Único de Saúde (SUS), em Divinópolis, estão 50% ocupados. O índice na rede particular é de 41%. Assim, de um total de 134 espaços, 60 (44,8%) estão em uso.

Levando-se em conta o número de casos confirmados por 100 mil habitantes, Divinópolis tem o indicador em 42,40. No Brasil, é de 48,19; em Minas Gerais, 10,66; e na região, 32,76.

Denúncia

A Associação dos Advogados do Centro-Oeste (AACO) protocolou na última semana uma denúncia na Promotoria de Defesa do Consumidor. O documento relata a necessidade de o órgão tomar as medidas cabíveis diante das longas filas formadas nas agências da Caixa Econômica Federal. 

— O presidente da Comissão de Direito do Consumidor, Eduardo Augusto Teixeira, compareceu in loco para constatar as irregularidades e infrações cometidas pela CEF (...). Primeiramente, de longe, verificou-se filas de pessoas na parte externa da agência, em ambos os sentidos, virando as esquinas Goiás e Minas Gerais, em estimativa de mais de 300/400 pessoas nas filas, além de transeuntes, comerciantes locais e pessoas que aglomeravam em torno da agência da CEF, coisa de se assustar em tempo de pandemia — destaca o documento.

O Ministério Público (MP) informou que o relato será “oportunamente analisado”.

Questionada, a Prefeitura comunicou estar ciente da situação e que, inclusive, notificou, por meio da Procuradoria-Geral, o superintendente da Caixa.

— (...) adoção das providências necessárias para a garantia das medidas sanitárias durante seus atendimentos, principalmente nas filas de espera, dentro e fora das agências, com a manutenção de controle para o distanciamento entre as pessoas — cobra o Executivo no texto.

A notificação, apresentada ao Agora, é datada de 28 de abril.

Gráfico crescente

A Vigilância em Saúde divulgou no sábado, 2, um boletim com dados das últimas semanas epidemiológicas em Divinópolis. Segundo o relatório, entre os dias 5 e 11 de abril, a cidade tinha uma média de 2,8 pacientes com suspeita de coronavírus em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). Já entre o dias 26 de abril e 2 maio, esse índice chegou a 13,8.

O mesmo parâmetro, desta vez para pacientes com suspeita de covid-19 no setor aberto dos quatro hospitais da cidade mais a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), aponta que, entre os dias 5 e 11 de abril, a média era de 8,7. O número está atualmente em 17. 

A Vigilância em Saúde, por meio do boletim, voltou a destacar que o monitoramento dos dados é feito diariamente.

— É possível notar o aumento da média do número de casos suspeitos de covid-19 internados nos hospitais de Divinópolis. Sabe-se que a doença avança no país e em nossa região. Junto à covid-19, o país possui circulação de outras doenças virais nesta época de outono e inverno, como a influenza H1N1, rinovírus, entre outros. Importante ressaltar que a situação de internações nos hospitais do município está sendo monitorada diariamente — pontuou. 

Os leitos também têm, até o momento, sido suficientes para atender à demanda. Conforme os dados apresentados, desde 17 de abril, a ocupação das UTIs tem se mantido entre 42% e 50,5%.

— A partir do dia 13 de abril de 2020, a UPA Padre Roberto pôde contar com a abertura da unidade de campanha, aumentando o número de leitos para pacientes com quadro clínico de covid-19, passando a contabilizar 26 leitos de UTI para pacientes do SUS. Em 26 de abril, o Complexo de Saúde São João de Deus disponibilizou mais 20 leitos para atendimento de pacientes suspeitos de covid-19 na rede SUS. Desta forma, o município passou a contar com 134 leitos de UTI, sendo 56 na assistência do SUS e 78 na assistência da saúde suplementar — explicou o setor.

Os indicadores também reforçam os comentários da autoridades do Município de que a estrutura de saúde precisa levar em consideração o fato de Divinópolis ser polo regional e referência para as cidades vizinhas.

— A partir do dia 27 de abril de 2020, a ocupação dos leitos de UTI passou a ser mensurada separadamente, entre leitos de UTI na saúde suplementar e SUS. Nota-se que a ocupação dos leitos na saúde suplementar apresentam um aumento gradativo, com uma média de 40,7% neste período. Já a atenção ao SUS possui uma média de 54,3% de ocupação. Na rede SUS o município é referência para os municípios de Divinópolis, Araújos, Carmo do Cajuru, Itapecerica, São Gonçalo, São Sebastião do Oeste e Perdigão, atendendo uma população de 351.000 habitantes. Na rede suplementar, os leitos podem ser ocupados por habitantes de municípios da região que possuem convênios com os hospitais particulares de Divinópolis — explicou.

Comentários
×