Cidade retorna à onda amarela e comércio vai fechar aos sábados

Decreto com mudanças será publicado hoje no Diária Oficial dos Municípios Mineiros; mais uma morte foi confirmada

Da Redação

Divinópolis está de volta à onda amarela. Com a piora dos indicadores, a cidade deixa hoje a onda verde ‒ última fase de flexibilização. As novas normas e a regressão de onda entram em vigor hoje, data em que a Prefeitura publicou o decreto com as mudanças. Dentre as principais revogações estão a proibição de shows ao vivo em bares e restaurantes e a volta das aulas presenciais, marcada para ontem ‒ no caso da rede pública municipal ainda não havia data para retorno.

Ambos

Seguindo as orientações do Estado, determinados municípios podem optar por entrar na onda da micro ou da macrorregião. Para Divinópolis, não faz diferença, haja vista que ambas localidades estão na amarela.

— Os índices mostram uma situação de alerta. (...) o grau de risco de Divinópolis é de 14, de 0 a 32. Já na macro, o grau de risco é 16, de 0 a 32 — citou.

Como determina o protocolo, apenas os serviços da respectiva onda podem abrir. Assim, eventos e shows e sinucas em bares, áreas de lazer em clubes, parques de diversão estão novamente proibidos. Outras determinações também deverão ser readequadas: a distância entre os alunos dentro das academias aumentará de quatro para dez metros.

O Comitê Municipal de Enfrentamento ao Novo Coronavírus também optou pelo fechamento do comércio na próxima segunda-feira, 12, data que marca a homenagem à Nossa Senhora Aparecida, considerada padroeira do Brasil. Em nota, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis já reconhecia a possibilidade de interrupção dos trabalhos no feriado.

— De acordo com as regras estabelecidas pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), o comércio está permitido funcionar no próximo feriado do dia 12 de outubro. Contudo, devido à pandemia, a Prefeitura poderá, novamente, como ocorreu no feriado de 7 de Setembro, decretar a proibição de abertura, o que ainda não foi anunciado pelo Executivo municipal — explicou.

Os membros também votaram pelo funcionamento das lojas apenas de segunda a sexta, o que foi confirmado pelo prefeito Galileu Machado (MDB)  ontem à tarde. Os lojistas terão que fechar as portas aos sábados, porém, a partir do dia 17. Isso porque este sábado, 10, antecede o feriado de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças, na segunda-feira.

 O aguardado retorno às aulas, permitido apenas na onda verde, também foi suspenso.

— Segundo o Governo de Minas, a progressão aconteceu após a análise dos últimos 28 dias dos índices epidemiológicos. Assim, a permissão para a reabertura de diversas atividades como cinemas, parques, salões de festa, entretenimento dos bares e retorno das aulas estão suspensas — explicou a Prefeitura.

As autorizações descritas nas ondas vermelha e amarela permanecem em vigor.

— Atualmente, mesmo com 14 pontos, o município se encontra na denominada onda amarela do programa, ou seja, é permitido consumir bebidas alcoólicas em estabelecimentos alimentícios — disse o comitê.

Comportamento

A Prefeitura voltou a ressaltar a continuidade das ações contra os estabelecimentos que funcionam em situação irregular.

— Diariamente, estabelecimentos que não cumprem as regras de segurança são fiscalizados — pontuou o Executivo.

Apesar das ações, foi solicitada a colaboração dos moradores.

— Para entrarmos na curva descendente e voltarmos às flexibilizações dos demais setores, todos os esforços devem ser mantidos, neste momento todo cuidado é necessário. Apesar da elevação dos pontos, os índices podem abaixar desde que medidas de segurança simples sejam respeitadas, como o distanciamento mínimo de dois metros entre mesas e priorizando a utilização da mesa pela mesma família; que os clientes permaneçam sentados e a higienização constante do local, principalmente após a desocupação das mesas — destaca.

O descumprimento das normas podem ser denunciadas pelo aplicativo App Divinópolis, disponível para Android e iOS.

Nova morte

Divinópolis chegou ontem a 59 mortes pela doença. A Prefeitura confirmou que um homem, de 75 anos, que tinha doença cardiovascular crônica e hipertensão arterial sistêmica, não resistiu à covid-19. Ele estava hospitalizado na UTI do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) desde 29 de setembro. A vítima veio a óbito no domingo, 4.

Comentários
×