Cidade das Histórias

Welber Tonhá 

Tenho quase certeza que muitas pessoas não sabiam que Divinópolis foi considerada a Cidade das Histórias. Sim! Com direito a selo e tudo, isso aconteceu pela grande qualidade de seus contadores de histórias, que são bons no que fazem e são numerosos. Não falo só daqueles “causos” que todo avô conta, que toda reunião de família tem (saudades de aglomerar) – falo dos profissionais, daqueles que estudam, pesquisam e se qualificam. Quando contam uma história, parece que trazem ela à vida, nos encantam. Em Divinópolis, temos muitos, como Denise Arantes, Vania Ordones, Tatiana Fonseca, Bruno Rodrigo, Daniel Bicalho, Juvenal Bernardes, Mariana Bernardes, Cris Silva e muitos outros que falarei em breve. O selo Cidade das Histórias foi resultado do trabalho de pessoas como o Toninho, da cidade de Mariana, no programa Conexões Criativas e a Planeta, Agência de Cultura.

Roda de Autores

Em abril, que já chegamos, mais precisamente do dia 20 a 13/05, acontecerá a “Roda de Autores - Ciranda Literária”, organizada pela Boutique do Livro, um evento que conta com o incentivo da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural. Semana que vem dou mais detalhes.

Lançamento de livro e comemorações

A Gulliver Editora anunciou, na última sexta-feira, 26, a primeira obra que integra o catálogo de lançamentos especiais em comemoração aos seus 10 anos. “A menina que roubava travesseiros” marca a estreia na literatura da criadora de conteúdo Bárbara Graziela. A obra, categorizada como literatura infantojuvenil, já está disponível em pré-vendas no site da editora. Em 2021, a Gulliver celebra 10 anos de existência. Parabéns à editora.

Morro da Gurita

Há alguns anos, o secular Morro da Gurita vivencia novas histórias contadas a partir da construção da Cruz Todos os Povos, empreendimento de tamanha projeção que levará a localidade ao conhecimento de todo o mundo. Mas, e as memórias e histórias mais antigas, quem poderá contá-las? Cientes da importância do Morro da Gurita, o Conselho do Patrimônio Cultural de Divinópolis (Compac) tem se mobilizado em busca da preservação da localidade e divulgação de sua trajetória como patrimônio cultural. No dia 24 de fevereiro de 2021, integrantes do Compac, juntamente com servidores da Secretaria Municipal de Cultura, realizaram uma visita ao Morro da Gurita, dando início ao desenvolvimento de atividades de educação patrimonial e outras ações para o levantamento da memória e o registro da história da localidade.

A cultura do Dia da Mentira

Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam em 1º de abril.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1º de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano se iniciaria a 1º de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries. Então, a cultura do dia da mentira é para brincar ‒ não vamos levar a sério e criar problemas com mentiras sérias. Brinque, mas de forma sutil.

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para welbertonha@gmail.com

Welber Tonhá e Silva 

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×