Chuvas se intensificam e Itapecerica sobe

 Da redação

Com as chuvas que vem caindo na região, desde o último domingo, o rio Itapecerica que corta a cidade em 18 quilômetros já subiu mais de um metro.

Trechos como a ponte que liga o Centro ao bairro Niterói, ao Porto Velho e Esplanada, já é possível ver o volume de longe. Situação que preocupa, principalmente, famílias ribeirinhas. Muitas moram na beira do rio em diversos pontos da cidade.

Preocupa ainda a Defesa Civil, que, desde ontem, realiza monitoramento. Segundo seu coordenador  Pádua Fernandes, apesar da chuva contínua, o nível das águas do rio Itapecerica ainda está dentro do normal. Dados da Defesa Civil, mostram que, somente na terça-feira, choveu cerca de 55 mm na cidade. Em toda região foram cerca de 277,6 mm, o que faz com que a região fique em constante alerta, de acordo com a Defesa Civil. Segundo Pádua Fernandes, para que haja um transbordamento das águas, é preciso que o rio suba cerca de 4,80mts. 

Pádua ressalta que as águas estão descendo bem.

— Atualmente, a situação é de alerta e observação, pois em Itapecerica, onde nasce o rio, Cláudio e outras cidades próximas, está chovendo bastante. O volume de chuva que cai nas cidades da cabeceira do rio é esperado no trecho que corta Divinópolis, e pode representar de 60 cm a dois metros de cheia. Para os dois próximos dias pode chover mais 40 mm de chuvas — explica.

Ainda segundo Pádua, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros possuem um plantão direto, e caso ocorra alguma anormalidade atuam imediatamente. 

Estragos

As chuvas já têm causado vários estragos na cidade, muitos buracos e queda de árvores. A rua Dr. Ribeiro Pena, que é uma das principais ligações da área central com o bairro Niterói, está com vários buracos, próximo ao campo do Flamengo, ainda  próximo ao local, uma árvore está caída em cima do passeio, atrapalhando a passagem de pedestres. O mesmo ocorre na avenida JK, onde na esquina com a rua Waldemar Raush, houve queda de árvore no fim da tarde de ontem.

Previsão

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil alerta para grande volume de chuva na região Centro-Oeste, incluindo Divinópolis entre esta quarta-feira, 21, e quinta, 22. O volume vai entre 20 e 50 mm, ventos intensos de até 60 km/hora.

Acidentes

O Brasil está localizado em uma zona tropical e, por conta disso, nesse período do ano, registra altas temperaturas. Além do calor, também se observa, na transição das estações mais quentes, um fenômeno habitual: as chamadas 'tempestades de verão' que, com frequência, surgem acompanhadas de raios, inundações e rajadas de ventos.
Em função da maior propensão às tempestades nessa época do ano e o risco de acidentes, o engenheiro do trabalho da  Cemig, Demetrio Aguar, recomenda procedimentos que devem ser adotados pela população durante as chuvas, como, por exemplo, desligar das tomadas os equipamentos elétricos, evitando-se o risco de queima para garantir a segurança.
—  Durante as chuvas, o raio pode cair nas proximidades da edificação ou até mesmo na rede elétrica e chegar às residências por meio da fiação, podendo atingir os moradores. Mas é importante salientar que os equipamentos devem ser desligados antes da tempestade começar, pois há risco de choque elétrico se isso for feito durante a chuva — explica o engenheiro.
  
As tempestades também podem causar rompimento de fios elétricos da rede de energia. Nesse caso, é imprescindível que todos se mantenham distantes do local. 

— Caso alguém se depare com um cabo partido, nunca deve se aproximar ou tocar a fiação. Nestes casos, a recomendação é ligar imediatamente para o Fale com a Cemig, no telefone 116, que funciona 24 horas por dia — destaca o engenheiro.

Comentários
×