China Azul está exigente demais

José Carlos de Oliveira

Certo que o Cruzeiro não vive um bom momento na Série B e qualquer pontinho perdido em casa pode fazer muita diferença lá na frente, mas para um time que há bem pouco tempo nem gol marcava, empatar em 3 a 3 saindo atrás do marcador em três oportunidades é até motivo de esperança para dias melhores. Pelo menos o que se vê agora é que a equipe celeste não se entrega mais em campo, a qualquer sinal de adversidade já sabe se erguer e partir para a reação ainda dentro das partidas. Se isso levará a Raposa a dias melhores, ninguém pode garantir, mas ter a certeza de que vai cair lutando já é um bom caminho.

Bom resultado

E foi, sim, um bom resultado o empate da última segunda-feira, e o que atesta esta afirmação são as circunstâncias do jogo. Em outros tempos, não muito distantes, estar atrás no placar e ter um jogador injustamente expulso seria motivo de desespero para a Raposa, com o time se perdendo totalmente em campo.

E não foi isso que aconteceu. Pelo contrário, a equipe não se abateu perante as adversidades, foi em busca do empate e poderia ter até vencido o duelo, chances teve para isso. Sinal claro de que, aos poucos, o técnico Felipão vai colocando a casa em ordem e a China Azul tem motivos para ter esperança de dias melhores ainda nesta temporada.

Sempre os ‘do contra’

Mas, para uma parte da torcida, isso não basta. Eles são sempre do contra e fingem não enxergar o buraco em que alguns “dirigentes bandidos” colocaram o clube e acham que tudo se resolve da noite para o dia. E não é bem assim. Há que se dar tempo ao tempo para que as coisas sejam colocadas nos seus devidos lugares e, pelos últimos acontecimentos, é justamente o que vem ocorrendo para as bandas da Toca da Raposa.

Então, que deixem o pessoal trabalhar em paz.

MANGUEIRAS BRASIL

Futebol está muito sem graça

A volta do futebol aos estádios do Brasil e do mundo sem a presença da torcida tirou o brilho do espetáculo. Os jogos ficaram sem sal e alguns times sentem isso mais que outros. E verdade maior que esta não há. Para alguns atletas, fica parecendo que estão é treinando. E não sou contra eles, pois partida sem os gritos das arquibancadas tem, sim, cara de treino e nem todos conseguem seu melhor desempenho sem o incentivo e o grito de suas torcidas.

E por que não voltam logo com as torcidas aos estádios? Se um ônibus pode circular cheio, com cinquenta e até mais pessoas se esfregando umas às outras, por que então os estádios não podem ter seus públicos?

A hora é de as autoridades reverem seus conceitos, para o bem de todos. Que se adote medidas preventivas, e até se diminua a capacidade de público, mas que o futebol volte a ter a alegria das arquibancadas é tudo que se pede hoje.

Rogério Ceni dá cartada final 

O ex-goleiro Rogério Ceni concedeu entrevista ontem à tarde, no Rio de Janeiro, já como novo técnico do Clube de Regatas Flamengo. Ele chega para tentar colocar a casa em ordem em um time repleto de estrelas, mas que nas últimas partidas conseguiu a proeza de sofrer duas goleadas, algo nunca aceito pelas torcidas dos grandes clubes. Se ele vai conseguir fazer um bom trabalho já são outros quinhentos, afinal Fortaleza e Flamengo estão em mundos diferentes, como o sol e a lua, e o nível de cobrança a partir de agora será do tamanho da responsabilidade que o treinador assumiu. É aguardar os primeiros capítulos desta história e ver no que vai dar, porque falar que vai dar certo é o mesmo que ganhar na Mega-Sena sem jogar... E estamos conversados!

Comentários
×