Chateado

Chateado

É como o prefeito Galileu Machado (MDB) afirma se sentir com todo o episódio envolvendo seu nome, o do vice-prefeito, Rinaldo Valério (DC), o líder do prefeito, Eduardo Print Jr. (SD), e os assessores do Sargento Elton (Patriota). O chefe do Executivo lamenta o que chama de situação chata e diz que não pretende tocar mais no assunto. Tá certo que a coisa quanto mais mexe, pior fica, porém, com certeza, novos capítulos devem brotar nos próximos dias. Até agora, todo mundo tem razão, e o mentor de tudo, quem foi? Por que marcou? Qual o objetivo de querer chutar cachorro morto?  Respostas que ainda não foram dadas e uma população inteira espera.

Só podia

Estando no meio político e, principalmente, em Brasília, não poderia ser diferente. O bolão vencedor da Mega-Sena na noite desta quarta-feira, 18, virou um dos assuntos mais comentados por parlamentares na capital federal, já que a aposta sorteada foi feita por um grupo de assessores do Partido dos Trabalhadores (PT). O prêmio estava acumulado em mais de R$ 120 milhões, o sexto maior da história da loteria. A votação que altera as regras para os partidos — que era o mais importante e beneficia muita gente —, com o prêmio, ficou em segundo plano. As brincadeiras irônicas tomaram conta do Plenário. Também, esperar o que de um local onde o mais que se vê é palhaçada, mas que faz é dos eleitores verdadeiros palhaços?

O próprio

Ainda sobre o prêmio, motivo de piadas, por sinal de mau gosto, alguns políticos usaram as redes sociais para comentar sobre o assunto, como o ministro da Educação, Abraham Weintraub. “Dois eventos praticamente impossíveis na mesma notícia: ganhar sozinho na Mega-Sena e petista ficar milionário sem roubar”, escreveu o ministro. “Estou com medo de ver um Saci Pererê hoje”, completou. Não precisa ter medo, ministro. Gente como o senhor, capaz de falar estas asneiras, se não é o próprio, é muito parecido. Se bem que um responsável pela educação do país que não sabe escrever deveria é ficar mais calado.

Picadeiro

E o circo começa é nos palcos menores. Divinópolis é um claro exemplo disso, principalmente nesta legislatura. A julgar pelas as últimas ocorrências, consegue ser pior, já que mistura espetáculo com alguns surtos ou loucura nata de alguns. Harmonia? Como disse o Dr. Delano (MDB), passou longe. O eu em primeiro lugar e as eleições 2020 não deixam.

Mas já?

As eleições municipais nem chegaram e já tem gente pensando no processo de 2022. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), criticou indiretamente ontem o presidente Jair Bolsonaro ao dizer que a política brasileira ainda não abandonou o palanque das eleições do ano passado. Disse que, na medida em que a política permanece polarizada, o Brasil perde. Witzel já anunciou que pretende concorrer à Presidência em 2022 e tem causado intrigas no PSL de Bolsonaro. O governador — só para lembrar, é aquele que comemorou a morte do rapaz que fez reféns em ônibus no Rio de Janeiro — ressaltou o suposto projeto nacional que ele teria para tocar. Não é à toa que se parece tanto com quem ele era aliado e, agora, critica.

Abrir as portas

Foi assim que o diretor regional da UNA, Eduardo França, recebeu a imprensa ontem à tarde na unidade Divinópolis para apresentar a instituição de ensino e falar dos novos projetos. São nove andares bem distribuídos, com salas amplas e laboratórios modernos. Com um olhar diferenciado para a cidade, a intenção, segundo ele, é abrir portas para a comunidade, o que já é feito com diversos atendimentos, mas será ampliado. Se depender do dom notório para área e a facilidade com a qual se expressa, sem dúvida Divinópolis também estará de olhos abertos para a UNA.

Time

Na oportunidade, França apresentou a nova equipe de direção e comunicação do campus. Anny Faria é a gerente da unidade, enquanto as professoras Fernanda Francischetto e Pâmella Pugas são coordenadoras de relacionamento.  Na comunicação, Fernanda Dias assume a liderança comercial e Gabriel Rodrigues, a assessoria de imprensa. Profissionais gabaritados que certamente contribuirão para o sucesso dos projetos.

Comentários
×