Cesta básica fica 30% mais cara

Sindijori

Os alimentos foram os principais responsáveis pelo aumento no custo de vida dos uberlandenses verificado ao longo da pandemia do coronavírus. Em 12 meses, a cesta básica ficou 28,35% mais cara. Em janeiro de 2021, o valor chegou a R$ 565,55, enquanto no mesmo mês de 2020, o preço era de R$ 440,63. Com as pessoas ficando mais tempo em casa em períodos de isolamento social e consumindo mais alimentos nos supermercados, a cesta teve acréscimo de R$ 125 e pesou no bolso do consumidor. Os dados são do Índice de Preços ao Consumidor de Uberlândia do Centro de Estudos, Pesquisas e Projetos Econômico-sociais (IPC-Cepes) da Universidade Federal de Uberlândia. (Diário de Uberlândia)

Cidades não aderem à onda

As prefeituras de Varginha e Guaxupé, ambas no Sul de Minas, resolveram não aderir à onda roxa do programa Minas Consciente, medida que foi imposta pelo governo do Estado a todos os 853 municípios desde ontem. Outras cidades também resolveram não seguir a recomendação do governador Romeu Zema. O prefeito de Varginha, Vérdi Lúcio Melo, disse que a determinação estadual não se adequa ao município. "Nós entendemos que é uma medida muito forte fechar a cidade em todos os seus aspectos, porque já vivemos esses momentos anteriormente. Fechamos a cidade, tomamos todas as medidas de enfrentamento. E acreditamos que acertamos a maioria", explicou. (A Folha Regional - Muzambinho)

JF lidera ranking de transparência

Juiz de Fora ficou entre as cidades mais bem avaliadas do país, com pontuação de 9,95, no ranking de transparência da 2ª edição da Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360º, divulgada pela Controladoria-Geral da União (CGU). O Município obteve uma das 16 melhores notas no Brasil e a primeira do estado. O mesmo levantamento apontou o Estado de Minas Gerais como um dos mais transparentes do país, com nota 10, a pontuação máxima permitida. O ranking, divulgado na última segunda-feira, 15, avalia o cumprimento da Lei de Acesso à Informação (LAI) pelos estados e por municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes. (Tribuna de Minas - Juiz de Fora)

Prefeitura decreta feriado

Um dia antes de Montes Claros entrar em recesso prolongado de seis dias, após decreto municipal que antecipa feriados com o objetivo de esvaziar as ruas, a cidade bate novo recorde de casos confirmados de covid-19. Na terça-feira, 16, o setor de Epidemiologia da Prefeitura registrou 435 confirmações, aumentando para 22.330 o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no município. Para tentar barrar esse aumento explosivo de infecções pelo novo coronavírus, que tem levado o sistema de saúde ao colapso – não há mais leitos disponíveis na cidade, que é referência para 95 municípios da região –, a Prefeitura de Montes Claros publicou mais um decreto. (Jornal O Norte - Montes Claros)

Estádio não deverá sair do papel

O contrato assinado pelo prefeito Raimundo Nonato Cardoso, de Viçosa, no último dia 21 de janeiro, com a empresa GML Engenharia LTDA, de Belo Horizonte, representada por Márcio Massaud Mesquita Filho, vencedora da Concorrência Pública 024/2020, está em vigor, mas a tão esperada ordem de serviço ainda não foi dada pela administração municipal. O impasse está na indisponibilidade de recursos financeiros para tocar a obra. Para agravar a situação, a empresa já pediu realinhamento do contrato, alegando alta nos preços dos materiais de construção civil. A Prefeitura aguarda a planilha atualizada para avaliar o pedido de aditivo. (Folha da Mata - Viçosa)

Rede de atendimento à mulher

Araxá lançou a Rede de Acolhimento à Mulher Vítima de Abuso, dando continuidade às atividades alusivas ao mês de março, mês da mulher. A rede compõe ações, serviços e programas da Secretaria Municipal de Ação Social, integrando também a Secretaria Municipal de Saúde, além de órgãos judiciários e de segurança pública. “O intuito é justamente acolher essa mulher violentada física ou psicologicamente, de forma que ela encontre, nela mesma, força para lidar com essa situação”, explicou Cristiane Mirza Pereira da Silva, coordenadora do Centro de Referência Especializado na Assistência Social (Creas). (Correio de Araxá)

LIRAa aponta ao alto risco

Não bastasse o cenário crítico frente à pandemia do coronavírus no município de Arcos, quem também bate à porta é a dengue. Segundo dados apresentados pelo setor de Epidemiologia, no mês de março de 2021, o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) apresentou infestação predial de 10,2, ou seja, alto risco. A Prefeitura já está em ação faz um certo tempo, adotando as medidas para fiscalizar e multar os proprietários de terrenos e lotes sujos ou com possíveis focos de larvas do mosquito Aedes, além da realização dos mutirões de limpeza e serviço de capina e limpeza de ruas e locais públicos. (Correio Centro-Oeste - Arcos)



Comentários
×