Cesta básica está mais barata em Divinópolis

Da Redação

A cesta básica ficou mais barata em outubro, quando comparado a setembro. Este é um dos dados apontados pelo levantamento realizado pela faculdade Una Divinópolis que traz o preço médio da cesta básica na cidade e de produtos com alta variação, como o arroz tipo 1 e o óleo de soja.

Segundo os dados, o preço médio da cesta apresentou redução de 8% em outubro, justificado pela redução expressiva do arroz em um dos estabelecimentos comerciais pesquisados. A pesquisa analisou a variação de preços entre quatro estabelecimentos comerciais na cidade na primeira semana deste mês.

Variações de preços

Dentre os itens pesquisados, o arroz tipo 1 é o produto com maior variação, com preço mínimo de R$ 24,69 e preço máximo de R$ 31,88, uma diferença de R$7,19, o que corresponde a 29% de variação. Assim como o arroz, os demais itens pesquisados também encontram expressiva diferença de preços entre os estabelecimentos comerciais, sendo 21% de variação no preço do óleo de soja e 17% na cesta básica.

Preços

A pesquisa também comparou os preços dos produtos em relação ao mês anterior, sendo possível constatar um elevado aumento do preço médio do óleo de soja de 14,5% dentre os mesmos quatro estabelecimentos comerciais pesquisados no mês de setembro. Com este aumento, o preço médio do óleo de soja subiu R$ 0,88 indo para R$ 9,64.

De acordo com o professor de Economia da UNA, Luiz Ângelo Gonçalves, o óleo de soja é o novo vilão da inflação dos alimentos.

— O Brasil é o maior exportador de soja do mundo, e outros países como a China compram muita soja do mercado nacional. Com o dólar elevado ficou mais interessante ao produtor brasileiro exportar sua produção, com o produto mais escasso o preço sobe. O farelo de soja utilizado na alimentação de bovinos e suínos também subiu muito, o que pode impactar em mais aumentos no preço da carne. Em Divinópolis não é diferente, dentre os itens pesquisados o óleo de soja é o que apresentou maior aumento no preço médio — destaca o professor.

Comentários
×