Centro-Oeste cria 4 mil empregos e lidera em MG

 

Pablo Santos 

A indústria do Centro-Oeste gerou, aproximadamente, 4 mil empregos nos primeiros sete meses do ano. O volume de postos de trabalho criado com carteira assinada colocou Oeste do Estado como a maior geradora de emprego na indústria nos primeiros sete meses de 2017, de acordo com os números da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

No mapa da Fiemg, Minas Gerais foi dividida em 12 regiões. Os dados apontam que o Centro-Oeste de Minas lidera entre as regiões pesquisadas com exatamente 3.991 oportunidades de emprego abertas de janeiro a julho, dados mais recentes disponíveis. O desempenho deste ano é superior ao do ano passado, quando no mesmo intervalo, o Centro-Oeste gerou 990 vagas de trabalho com carteira assinada.

O setor com maior volume de vagas criadas foi o couro e calçados com 3.018 oportunidades. No ano passado, o resultado foi melhor: 3.660. Em compensação, o setor do vestuário abriu 584 oportunidades em sete meses de 2017, contra quatro fechadas do ano passado. O setor de veículos automotores também contribuiu com 292 vagas abertas no Centro-Oeste.

Regiões

Com as 3.991 vagas criadas em sete meses, o Centro-Oeste ficou em primeiro na abertura de vagas em Minas Gerais. Na segunda posição aparece o Sul de Minas com 3.550 vagas abertas. Curiosamente, os dois setores com maior abertura de empregos no Sul foram vestuário e calçados. As confecções do Sul de Minas criaram 687 vagas e o calçadista outras 603 postos de trabalho.  Poços de Caldas, Extrema e Pouso Alegre são as principais cidades geradoras de emprego naquela região.

Na terceira posição com maior abertura de vagas no estado aparece o Alto Paranaíba. Ao todo foram 2.993 oportunidades formais criadas. Combustível, alimentos, couro e calçados foram os principais segmentos da região em geração de vagas. Paracatu, Ibiá e Patos de Minas são os principais municípios geradores de vagas formais no Alto Paranaíba.

A sede com municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) criou 1.793 vagas em sete meses, acompanhado do Vale do Aço (1.089), Zona da Mata (993), Vale do Rio Grande (726), Vale do Jequitinhonha (37 0), Rio Doce (331) e Norte (270).

Duas regiões cortaram emprego em sete meses de 2017 em Minas. Vale do Paraíba liderada por Uberlândia, e o Pontal do Triângulo por Ituiutaba, encerraram 325 e 18 vagas, respectivamente.

 

Comentários
×