Centro lidera ranking de mortes por covid

Região tem 35 óbitos pela doença; São José, Esplanada e Niterói aparecem na sequência da lista

 

Bruno Bueno

O Centro lidera os casos de morte por covid em Divinópolis. Ao menos é o que indicam os dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) na tarde de ontem, que mostram que dos 339 óbitos registrados pela cidade, 35 eram de moradores do bairro, o que representa 10,5% do total.

Em seguida, aparecem os bairros São José, Esplanada e Niterói. O primeiro, localizado na região Sudoeste da cidade, tem 24 mortes confirmadas, representando 7% dos óbitos totais. Já o Esplanada, na região Central, tem 5% das mortes totais, com 16 óbitos confirmados. Fechando a quarta posição, o Niterói, da região Nordeste, tem 15 mortes registradas, 4,9% do total.

Lista dos bairros com maior número

  • Centro - 35; São José - 24; Esplanada - 16; Niterói - 15; 
  • Bom Pastor - 14; Danilo Passos - 13; Porto Velho - 11; Serra Verde - 10;
  • Interlagos, Planalto e Afonso Pena - 9; Santa Rosa e Ermida - 8;
  • Icaraí e Catalão - 7; Bela Vista, Nossa Senhora das Graças e Santo Antônio - 6;
  • Del Rey, Vila Belo Horizonte, Itaí e Santa Clara - 5; Belvedere, Manoel Valinhas, Tietê, Nações e Ipiranga - 4.

Vila Cruzeiro, Belo Vale, Jardim Candelária, Ponte Funda, São João de Deus, Sagrada Família, Paraíso, Mangabeiras, Dona Rosa e Nova Fortaleza têm três óbitos cada.

Sidil, Santa Tereza, Espírito Santo, Maria Helena, São Miguel, Halim Souki, Rancho Alegre, Cidade Jardim, Vila Romana, Orion, Jardim Capitão Silva, Padre Eustáquio, São Roque, Buritis, Vila Espírito Santo, Primavera e Walchir Resende têm duas mortes cada.

L.P. Pereira, São Sebastião, Padre Herculano, Alvorada, Quintino, Santa Lúcia, Amadeu Lacerda, Jardinópolis, Dona Quita, Pontal, Casa Nova,  Ant. Fonseca, Terra Azul, St Dumont, Vale do Sol, Jusa Fonseca, Grajaú, Cachimba, Dr. Dulphe Pinto, Inhame, Jardim das Acácias, Mar e Terra têm um óbito cada.

Fatores de risco

A Semusa também atualizou a relação das causas de risco que mais provocaram mortes por covid no município. O fator que lidera a lista são as pessoas que possuem mais de 60 anos, que registram 267 das 339 mortes por coronavírus, cerca de 79% do total. Ademais, 175 possuíam doenças cardiovasculares, 122 tinham diabetes e 67 eram hipertensas.

32 pessoas que eram consideradas obesas perderam a vida em decorrência do vírus. 29 tinham pneumopatias, 26 portavam doenças neurológicas e 24 apresentavam  hipotireodismo. Outras 20 pessoas, segundo a Semusa, tinham doenças renais, 18 possuíam câncer, e 15, quadro de asma. Finalizando a lista, três pessoas eram portadoras de fibrose pulmonar, quatro tinham doença hepática e duas outras apresentavam esclerose. Além disso, outras 53 pessoas possuíam outros fatores de risco que contribuíram para o óbito.

Sexo e faixa etária

No balanço também foi divulgado os dados referentes ao sexo e à faixa etária das vítimas. Segundo a Semusa, os homens lideram o ranking de mais mortes por covid, com 180 óbitos, 53% do total. Paralelamente, 159 mulheres, 47% do total, também perderam a vida pelo vírus.

Os dados também mostram que as pessoas entre 70 e 79 anos são as que apresentam maior índice de óbitos na cidade. Até ontem, 86 pessoas ‒ 46 homens e 40 mulheres ‒ com essa faixa etária haviam morrido. Em seguida, estão as pessoas com 80 a 89 anos de idade, com 82 óbitos ‒ 37 homens e 45 mulheres.

Em terceiro lugar, estão pessoas entre 60 e 69 anos, que já registraram 76 mortes ‒ 51 homens e 27 mulheres ‒ na cidade. Com 44 óbitos ‒ 25 homens e 19 mulheres ‒, a faixa etária de 50 a 59 anos aparece na sequência na lista. Pessoas de 90 anos ou mais, com 21 mortes ‒ 6 homens e 15 mulheres ‒; de 40 a 49 anos, com 16 óbitos ‒ 8 homens e 8 mulheres ‒; 30 a 39 anos, com 9 mortes ‒ 5 homens e 4 mulheres ‒; e 20 a 29 anos, com 3 mortes ‒ 2 homens e 1 mulher ‒ fecham o balanço.

Três mortes

A Prefeitura de Divinópolis confirmou, na tarde de ontem, mais três mortes em decorrência do coronavírus, que já foram contabilizadas na análise da Semusa.

Uma mulher de 82 anos, portadora de doença cardiovascular crônica e Alzheimer foi o primeiro óbito confirmada. Ela morreu no último dia 21. Dois homens, de 52 e 54 anos, também perderam a vida. O primeiro era portador de doença cardiovascular crônica e diabetes mellitus, e morreu no último dia 26. Já o outro era morador de rua e faleceu na última sexta, 23.

Com os registros, o município agora tem 339 mortes pela doença.

 

 




Comentários
×