Cemig dá dicas de economia de energia para comércios que voltam a abrir após flexibilização

Da Redação

Um dos indicadores do retorno das atividades econômicas ao nível pré-pandemia da covid-19 é o consumo de energia, porém é importante ficar atento para não desperdiçar e aumentar o valor da fatura no fim do mês. Em Minas Gerais, o programa Minas Consciente tem pautado a reabertura da economia seguindo todos os protocolos de segurança. Desta forma, a Cemig listou uma série de dicas de economia de energia para os empresários e comerciantes que estão retomando as suas atividades.

Confira as dicas, de acordo com cada atividade:

Escritórios

A primavera chegou e com ela as altas temperaturas. Além disso, com a pandemia do coronavírus é importante que os ambientes estejam mais abertos e arejados para evitar a disseminação do vírus.

— Com o calor, as pessoas tendem a ligar o ar-condicionado, que é um equipamento de muita potência e, consequentemente, de grande capacidade de consumo de energia. Além disso, todos os protocolos de segurança estão recomendando a não utilização desse aparelho, uma vez que é importante a circulação e renovação do ar em ambiente fechados. Mas, caso seja imprescindível o uso do ar condicionado, é importante que o filtro seja limpo frequentemente e que seja selecionada uma temperatura não menor que 24° C — explica o engenheiro de Eficiência Energética Thiago Batista, da Cemig.

Outra dica importante no ambiente corporativo é a utilização da iluminação natural. Desta forma, as luzes podem ficar desligadas, o que pode representar uma grande economia. Em caso da necessidade de utilização da luz artificial, é interessante que as mesmas sejam de tecnologia LED, que possuem uma alta eficiência energética.

Bares e restaurantes

As geladeiras e os freezers também podem representar mensalmente uma economia de até 48%, se substituídas por modelos eficientes. Essa economia significa energia para tomar 20 banhos, 150 horas de TV ligada ou dar 2 mil recargas em celulares.

— Esses equipamentos  são grandes consumidoras de energia, em virtude do “abre e fecha” ao longo do dia. As geladeiras e os freezers, em bom estado de uso, funcionam 12 horas por dia, ou seja, 360 horas por mês. É importante que o estabelecimento conheça bem o fluxo diário de consumo de bebidas e outros itens para evitar manter estoques refrigerados sem necessidade, representando grande desperdício de energia — explica Thiago Batista.

Os alimentos também devem ser organizados nesses equipamentos: quanto mais fácil for encontrar o que se procura,  menos tempo a geladeira ficará aberta.

— É fundamental não ficar abrindo a geladeira toda hora. Isso atrapalha o resfriamento — afirma Batista.

Limpar e fazer o degelo regularmente, como recomenda o fabricante, é outra medida que ajuda a diminuir o consumo de energia. O excesso de gelo e a disposição de alimentos ainda quentes no interior nas geladeiras e nos freezers forçam os equipamentos e elevam o consumo eletricidade.

A manutenção da borracha de vedação da porta desses equipamentos não pode ser esquecida.

— Para saber se está na hora da troca, deve-se colocar uma folha de papel entre a porta e a geladeira, fechar a porta e tentar retirar a folha. Se ela sair com facilidade, está na hora de trocar a borracha. O ideal é repetir o teste em vários pontos da porta dos aparelhos — explica Thiago Batista.

Salão de beleza

Os donos e donas de salões de beleza devem ficar atentos ao uso de equipamentos, como chapinhas e secadores de cabelos. São aparelhos muito potentes e que devem permanecer ligados apenas enquanto estão sendo utilizados. Além disso, é importante ressaltar a utilização da luz natural para evitar o consumo das lâmpadas nos ambientes.

Assim como nos escritórios, a utilização de ventiladores em ambientes abertos em vez do uso do ar-condicionado contribui para evitar a propagação do novo coronavírus e também aumento significativo na conta de energia.

Comentários
×