Casos suspeitos de dengue já chegam a 137

Da Redação

Divinópolis está com o clima ideal para a proliferação do mosquito Aedes aegypti: calor intenso com pancadas de chuvas. Desde o início do ano, os setores da saúde de todas as três esferas (municipal, estadual e federal) têm demonstrado preocupação com os números da dengue no país. A “Cidade do Divino” já contabiliza 137 casos prováveis (resultado da somatória dos confirmados e suspeitos). Esse número foi divulgado na última segunda-feira, 26, pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

O Ministério da Saúde informou ter conhecimento, até o último dia 2 de fevereiro, de cinco mortes em decorrência da dengue em todo o país. Em Minas, 11 mortes estão em investigação para apurar se a causa a doença causada pelo mosquito.

Divinópolis

Apesar de a SES-MG classificar o município como situação baixa, o número de casos da doença, se comparado ao mesmo período do ano anterior, assusta. Em janeiro deste ano, o boletim epistemológico registrou 32 casos; no ano passado, no mesmo mês, constam dez notificações.

Apenas em fevereiro, até o dia 26, o relatório apontava Divinópolis com 105 casos prováveis. O dado apresentado é maior do que o número de casos relatados ao longo de todo o ano passado, quando foram contabilizados 77 casos confirmados e suspeitos.

No fim de janeiro, quando as notificações da doença aumentaram consideravelmente, o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, decretou o adiantamento do “Dia D”. Tradicionalmente realizado em abril, a ação aconteceu no dia 16 deste mês. Na data citada, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) promoveu ações como carreata e atividades de conscientização. Palestras e orientações em escolas e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) também foram desenvolvidas.

Dentre as outras medidas tomadas pela Prefeitura está a realização de mutirões de limpeza, coletando materiais passíveis do acúmulo água. Como informado pelo Executivo, nesta semana um carro fumacê deve percorrer Ermida. A recomendação é para os moradores fecharem as portas e janelas, para maior eficiência do componente químico.

Alerta

Divinópolis não é uma ilha, vivendo uma experiência isolada. Os números de casos de dengue subiram em Minas e também no país. Ontem, 26, o Ministério da Saúde (MS) emitiu um comunicado alertando tanto os gestores quanto a população.

— O Ministério da Saúde informa que o número de casos prováveis de dengue no Brasil, em janeiro deste ano, mais que dobrou em comparação ao mesmo período de 2018. Até o dia 2 de fevereiro, registrou-se aumento de 149%, passando de 21.992 para 54.777 casos prováveis da doença — afirmou o órgão.

O MS ainda reforçou o pedido para os moradores tomaram as medidas preventivas divulgadas pelas entidades de saúde. O último Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypit (LIRAa), feito em Divinópolis pela Semusa, revelou que 90% dos focos de dengue foram encontrados dentro das residências. O levantamento foi realizado durante a segunda semana de janeiro.

— É essencial fazer do combate ao mosquito uma rotina de toda a sociedade em qualquer época do ano, embora, o verão seja a estação mais propícia para a proliferação do vetor. São medidas simples a serem adotadas, porém, eficientes, como manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água; trocar água dos vasos de planta uma vez por semana; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; e acondicionar pneus em locais cobertos — destaca o Ministério.

A região Sudeste, onde se localiza Minas Gerais e, consequentemente, Divinópolis, concentra 60% dos casos em todo o país. No Brasil, até dia 2 de fevereiro, eram contabilizados 54.777 casos prováveis; somente no Sudeste, foram 32.821.

Estado

Minas Gerais tem apresentado altos números de casos de dengue. Neste mês, a SES-MG registrou 12.520 notificações. No mesmo período do ano passado, esse dado era de 2.282.

O governo estadual pede cuidado e atenção para quem vai viajar na próxima semana para aproveitar o feriado prolongado de carnaval. Os moradores que forem deixar as casas vazias devem eliminar ou guardar objetos com possibilidade de acumular água. Outra dica é realizar a limpeza de piscinas, vedação de ralos e deixar a tampa do vaso sanitário fechado. Já durante as comemorações, é importante tomar cuidado com o descarte de materiais. O acúmulo de lixo nas ruas acaba por se tornar um criadouro em potencial para o mosquito.

Comentários
×