Casos de violência contra a mulher no primeiro semestre preocupam

Dados mostram que cidade teve 34 registros a mais em relação ao mesmo período de 2020; Agosto Lilás busca incentivar ações de combate ao crime

Bruno Bueno

Os casos de violência doméstica e familiar contra a mulher cresceram em Divinópolis. Dados divulgados pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) mostram que o município registrou 774 casos até junho deste ano, 34 a mais em comparação ao mesmo período do ano anterior. 

Dados em Divinópolis:

  • janeiro/2018 a junho/2018 - 872 casos;
  • janeiro/2019 a junho/2019 - 730 casos;
  • janeiro/2020 a junho/2020 - 740 casos;
  • janeiro/2021 a junho/2021 - 774 casos.

Feminicídios

O número de feminicídios, porém, é, até então, menor do que o do ano anterior em Divinópolis. Os dados da Sejusp mostram os registros tentados e consumados.

  • janeiro/2018 a dezembro/2018 - 3 consumados e 1 tentado;
  • janeiro/2019 a dezembro/2019 - 1 consumado;
  • janeiro/2020 a dezembro/2020 - 4 consumados;
  • janeiro/2021 a junho/2021 - 1 tentado.

Agosto Lilás

Para viabilizar ações de combate ao crime de violência doméstica contra a mulher, diversas autoridades, como a Prefeitura de Divinópolis e a Polícia Militar, trabalham na iniciativa Agosto Lilás. Eventos, blitz, palestras e outras ações buscam conscientizar as mulheres sobre o problema.

Em um destes eventos, a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD) do 23º Batalhão da Polícia Militar (BPM) realizou, no último sábado, 7, uma blitz educativa em comemoração aos 15 anos da Lei Maria da Penha.

— A ação visou promover a conscientização, a prevenção e o contínuo enfrentamento a todos os tipos de violência contra a mulher, além de divulgar o trabalho da Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica — informou a PM em nota divulgada.

Prefeitura

A Prefeitura também divulgou ações que serão realizadas para promover a campanha Agosto Lilás. Segundo o Executivo, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), ministrará oficinas a fim de evitar a violência contra a mulher para adolescentes e jovens que cometeram ato infracional e receberam medida socioeducativa. 

As atividades começaram ontem e terminam na próxima quinta-feira, 12. O objetivo é ensinar os adolescentes a identificar e abordar a violência contra a mulher na sociedade. O tema da campanha é “Mais amor, menos ódio!”. 

— Os eventos reunirão cinco técnicos de referência, entre psicólogos e assistentes sociais, que fornecerão informação e vão propor reflexão e mobilização sobre a violência que os adolescentes muitas vezes encontram no próprio ambiente e em casa, na relação com os pais, e da qual as garotas podem ser vítimas — explicou o Executivo em nota.

Outras ações

Por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) do Município, a Prefeitura divulgou outras ações que estão sendo realizadas para conscientizar a população.

Na última sexta-feira, 6, uma blitz educativa foi realizada no bairro São José, por meio do Cras Sudoeste. A equipe entregou um kit informativo com os canais de denúncia, além de distribuir mudas de plantas. No mesmo dia, o Cras Nordeste realizou uma roda de conversa sobre o tema prevenção à violência doméstica com as famílias assistidas pela unidade.

Agosto Lilás:

  • conto de histórias, promovido pelo Creas (9 a 13 de agosto);
  • roda de conversa, das 11h às 15h, promovido pelo Cras Nordeste (12, 18, 19, 25 e 26 de agosto);
  • palestra “Autoestima e Motivação”, às 14h, promovido pelo Cras Jardinópolis (20 de agosto);
  • dia D da mulher, com palestra "Equilíbrio emocional”, às 15h, promovido pelo Cras Jardinópolis;
  • conversa com a comunidade, promovido pelo Cras Noroeste (28 de agosto).







Comentários
×