Cartórios registram aumento de divórcios em Divinópolis

Números de separações subiram 6% em relação a 2019; crescimento tem ligação direta com a pandemia e o isolamento social

Bruno Bueno

A pandemia do coronavírus impõe, desde março do ano passado, um longo período de convivência entre os casais por conta do isolamento social. Se antes a maioria dos casais interagia muito pouco por conta das obrigações diárias, é fato que muitos não se acostumaram a ver o parceiro tão frequentemente em casa e não deram conta de superar as diferenças e outros complicadores do dia a dia. É o que revela levantamento feito pelo Colégio Notarial do Brasil, em sua Seção Minas Gerais (CNB/MG), que mostrou o aumento de divórcios em cartórios de Divinópolis no último ano.

Dados

Segundo a CNB/MG, foram 75 divórcios extrajudiciais realizados em cartórios de notas em Divinópolis no segundo semestre de 2020. O número é 6% maior do que as 71 separações registradas no mesmo período do ano anterior. 

A situação também assusta no âmbito estadual. Em Minas Gerais, foram registrados 4.547 divórcios em cartórios de notas somente no segundo semestre de 2020. O número é 11% maior do que a mesma época de 2019, quando ocorreram 4.105 separações.

Os números têm como base apenas o segundo semestre do ano, já que os cartórios estiveram fechados nos meses de março e abril por conta das medidas de distanciamento social impostas pela pandemia.

Convivência forçada

O aumento dos divórcios tem ligação direta com a convivência forçada dos casais no período de isolamento social. 

João Rabelo, recepcionista de 25 anos, é um deles. Ele se separou de um relacionamento de quatro anos durante a pandemia.

— Já éramos casados, porém, não morávamos juntos ainda. Estávamos preparando para nos mudar com calma e paciência, só que aí veio a pandemia e mudou tudo. Decidimos nos precipitar e alugamos um apartamento juntos. A convivência quase que forçada pelo isolamento social me fez enxergar um lado dela que eu ainda não conhecia, uma pessoa com quem eu não queria continuar casado — explica.

João também conta que a crise econômica em consequência da covid-19 também contribuiu para o término da relação.

— Nossa renda caiu 70%. No começo, ainda continuamos unidos, mas, com o passar do tempo, foi complicado manter as contas para duas pessoas. O melhor foi separar amigavelmente — finaliza.

Facilidade

Outro fator importante, levado em conta na pesquisa e que contribuiu com o crescimento no número de divórcios na cidade, foi a facilidade do processo. 

O Conselho Nacional de Justiça autorizou em julho a prática de atos de separação de forma on-line, por meio da plataforma e-Notariado. Assim, os casais puderam realizar a separação em nota sem precisar ir nos cartórios.

— O divórcio on-line foi uma grande conquista do ponto de vista da desburocratização e veio para atender a demanda cada vez maior da população — comenta o presidente da CNB/MG, Eduardo Calais.



 

Comentários
×