Carteiros em Divinópolis aderem à paralisação

Levantamento parcial mostra que apenas 30% dos serviços são oferecidos na cidade

Da Redação 

Os trabalhadores dos Correios em todo o Brasil deflagraram, na última segunda-feira, 17, greve nacional, após assembleias organizadas pelos sindicatos filiados. Os funcionários pararam as atividades por tempo indeterminado contra a retirada de direitos, a privatização da empresa e negligência com a saúde dos trabalhadores em relação à covid-19. 

A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (Fentect) junto aos sindicatos filiados tentam, desde o início de julho, dialogar com a direção dos Correios em torno da pauta de negociação. No entanto, além de a empresa se negar a negociar, a categoria foi surpreendida desde o dia 1º de agosto com a revogação do atual acordo coletivo, que estaria em vigência até 2021. Foram retiradas 70 cláusulas com direitos como 30% do adicional de risco, vale-alimentação, licença maternidade de 180 dias, auxílio-creche, indenização de morte, auxílio para filhos com necessidades especiais, pagamento de adicional noturno, horas extras e outros direitos adquiridos, conforme a classe. 

Divinópolis

Na região Centro-Oeste, carteiros fizeram manifestações, nesta terça-feira, 18, nas cidades de Bom Despacho, Pompéu, Arcos, Oliveira, Nova Serrana e outros municípios. Em Divinópolis também foi realizada um protesto em defesa do emprego, direitos e contra a privatização. Segundo apurou a reportagem, cerca de 70% dos trabalhos estão afetados e somente 30% das atividades essenciais estão sendo realizadas. Com a greve, os consumidores devem ficar atentos ao prazo de entrega de encomendas e contas, pois deve ser a prestação de serviço mais afetada durante a paralisação.

Correios 

Em nota, a estatal emitiu parecer sobre a paralisação parcial dos empregados na manhã de terça-feira.  

— A paralisação parcial dos empregados dos Correios, iniciada nesta segunda-feira pelas representações sindicais da categoria, não afeta os serviços de atendimento da estatal — diz a nota. 

Levantamento parcial, realizado na manhã desta terça-feira, mostra que 83% do efetivo total dos Correios no Brasil estão trabalhando regularmente.

A empresa já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões foram adotadas.

— A rede de atendimento dos Correios está aberta em todo o país e os serviços, inclusive Sedex e PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios — completa a nota. 

Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100 ou pelo endereço https://apps2.correios.com.br/faleconosco/app/index.php. 

 

Comentários
×