Carta para um outro amigo

 

Oi amigo. Faz tempo que não te escrevo. Ainda bem que tempo de amigo não tem a mesma dimensão do relógio. Amigo é presença fora do tempo comum. E conosco não poderia ser diferente. Eu tenho andado com saudade. Com vontade de saber como você está. Com vontade de te desejar alguma coisa boa. Alguma coisa boa de verdade. Mas o mundo está tão mudado, que eu não sei ao certo o que te desejar. Os valores estão invertidos, as amizades têm se tornado estratégicas. E isso me assusta muito.

Eu poderia te desejar muitas coisas.  Ah eu poderia te desejar o mundo. Mas não sei se o mundo é tão bom assim. E acho que estaria te entregando uma responsabilidade grande demais.  Você não merece um fardo tão pesado assim.

Eu também poderia te desejar muito dinheiro. E com esse dinheiro você poderia  comprar uma casa linda, um carro do ano, uma outra casa na praia talvez, muitos empregados para cuidar de tudo que é seu, inclusive seu próprio dinheiro. Mas sei que você gosta de dormir tranquilo e de tomar café na padaria da esquina. Então mudei de ideia. Com esse dinheiro todo você nunca mais poderia dormir tranquilo ou tomar café na padaria da esquina.

Eu também posso te desejar saúde. Saúde, muita saúde! Que você nunca adoeça e nunca envelheça. Mas que graça tem ver a vida passar, sem irmos junto com ela? Highlander já nos provou que é muito triste não seguir a direção do tempo. E que as doenças são parte do aprendizado.

Então decidi te desejar um dia atarefado. Sim, um dia comum de ir e vir do trabalho. E que nele você consiga produzir, consiga mostrar todo seu potencial. Que neste dia o seu sorriso contamine o porteiro, a moça do caixa da padaria, o ranzinza do elevador e todos que cruzarem seu caminho. Que neste dia não lhe sobre tempo para falar mal do vizinho, nem das dívidas e muito menos das mágoas que ainda insistem em cutucar seu coração. Que neste dia comum que eu te desejo, tudo aconteça de tal forma que você só queira um banho, um abraço e sua boa e velha poltrona. Que muitos dias assim aconteçam em sua vida. Desta forma, quando nos encontrarmos eu sei que terei você de novo, o mesmo que eu deixei, sem que nada tenha alterado essa sua integridade admirável que você sempre teve.

E então nós sobrará tempo para usufruir das nossas companhias.Espero que compreenda meu desejo. Pode ser egoísmo de minha parte, mas perder-te seria um sacrilégio. Você é dos poucos que entende os meus devaneios. Abraços em todos da família.

leila.palavras@gmail.com

Comentários
×