Carroça vazia

Editorial

Existe um ditado popular que diz o seguinte: “Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz”. E essa é a mais pura verdade. A prova disso está na “nova política” divinopolitana, que muito grita, muito fala e pouco – ou nada – faz. No início deste ano, logo após a posse do prefeito, da vice e dos vereadores, o Agora trouxe neste espaço uma reflexão sobre o que a população esperava do comportamento dos legisladores. Eleita como a pior de Divinópolis, sem sombra de dúvidas a legislatura passada já não é mais detentora deste título; a atual, com pouco meses em exercício, já consegue superá-la. O episódio contracenado pelos vereadores Flávio Marra (Patriota) e Diego Espino (PSL) na reunião ordinária desta terça-feira, 6, é a prova disso. 

Na última legislatura, os inúmeros ataques entre os vereadores já eram motivo de vergonha, afinal, não são pagos para isso. Ao que os bastidores do plenarinho indicam, ontem, os dois parlamentares ultrapassaram qualquer limite de respeito com o povo e ao cargo para o qual foram eleitos. Segundo fontes do Poder Legislativo, os dois vereadores discutiram – e chegaram a sair nos tapas – por causa de cargos comissionados dentro da Câmara. Os bastidores indicam que a discussão foi em torno de quem tinha mais e quem tinha menos indicações no Legislativo. Absurdo em todos os sentidos. Pelo motivo e por onde quase parou essa discussão. Desrespeitoso. Repulsivo. Asqueroso. Repugnante. 

Os parlamentares se esqueceram que estão ali representando o povo divinopolitano, que são pagos para defender os interesses da população, e não os seus. Os vereadores se esqueceram que foram eleitos para exercer um cargo público de extrema responsabilidade. E que, por diversas vezes, o silêncio se faz necessário. Que Divinópolis precisa muito mais do que política de redes sociais, e a prova está aí: a cidade parou no tempo. Não vive, não evolui, apenas sobrevive a tudo isso. Divinópolis apenas sobrevive a essa “nova política”, que de nova não tem nada e apenas envergonha. Infelizmente, apesar da reflexão trazida pelo Agora no início deste ano, chegamos em julho com a certeza de que nada mudou e tudo tende a piorar. 

Cheio de carroças vazias, o Legislativo envergonha. Cheio de discursos que não dão em nada, tudo indica que Divinópolis terá que esperar mais três anos e meio para fazer novas escolhas, e quem sabe escolhas conscientes que legislem de verdade pelo povo. Talvez essas escolhas não façam parte da “nova política”, mas de uma boa, de uma comprometida política. De uma política responsável, capaz de exercer o seu cargo, as suas obrigações. Que seja capaz de olhar para o povo, para a cidade e de trabalhar em prol de todos. Até que isso aconteça, é bom os vereadores aproveitarem o recesso parlamentar para fazer silêncio e olharem para si, para o que querem para o povo – se é que isso é possível –, para o que querem para Divinópolis. Afinal, carroça vazia não traz desenvolvimento, saúde pública, não coloca comida na mesa do povo.

Comentários
×