Capacidade instalada da indústria regional fica abaixo da média estadual

 

Pablo Santos

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) da indústria do Centro-Oeste melhorou em janeiro, se comparado ao mesmo período de 2018. No entanto, o percentual é bem abaixo em relação ao registrado na média estadual, conforme os dados da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg).

Em janeiro deste ano, a capacidade instalada da indústria regional chegou a 67,1%. No mesmo período do ano passado, a UCI chegava a 64,3%, ou seja, uma melhora significativa de quase três pontos percentuais. Em dezembro do ano passado, o nível da capacidade instalada estava em 64,9%.

De acordo com os dados, a média estadual da capacidade de produção do parque fabril de Minas Gerais é de 79,8% em janeiro, resultado igual ao observado no mês anterior. É necessário ressaltar que a UCI permanece abaixo da sua média histórica, de 83,0%.

Brasil

No Brasil, o nível avançou 0,7 ponto percentual em janeiro deste ano, na comparação com dezembro, e chegou a 78,3%. Esse patamar é 0,2 ponto percentual maior do que o de janeiro de 2018, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

— Os indicadores industriais de janeiro confirmam a trajetória de recuperação da indústria, com o aumento do emprego, das horas trabalhadas na produção e no nível de utilização da capacidade instalada. Essas três variáveis, diretamente associadas à atividade industrial, começaram 2019 em patamar superior ao registrado no mesmo mês de 2018 — avaliou a CNI.

Já em fevereiro, o nível ficou em 78%, na série livre de efeitos sazonais. Trata-se de aumento de 0,1 ponto percentual frente ao resultado de janeiro. Com isso, a UCI registra alta acumulada de 1,8 pontos percentual no bimestre, frente a dezembro de 2018. Ao se comparar tanto o resultado de fevereiro quanto o acumulado no bimestre com igual período de 2018, o resultado é o mesmo, queda de 0,3 ponto percentual.

 

Comentários
×