Candidatos de Divinópolis confirmam nomes ao TRE

 

Da Redação

A campanha para as eleições 2018 começou ontem, 16. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foram registradas nove candidaturas para governador em Minas gerais. Disputarão a cadeira do Palácio da Liberdade, Alexandre Flach (PCO), Antonio Anastasia (PSDB), Claudiney Dulim (Avante), Dirlene Marques (Psol), Fernando Pimentel (PT), Mares Guia (Rede), Jordano Metalúrgico (PSTU), Márcio Lacerda (PSB) e Romeu Zema (Novo).

Ainda de acordo com o Tribunal, foram registradas 15 candidaturas ao Senado em Minas, entre elas a da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e do deputado federal Jaime Martins (PROS). Aécio Neves (PSDB) não concorrerá a uma vaga no Senado nestas eleições, mas lançou sua candidatura a deputado federal.

Conforme os dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) foram registradas 849 candidaturas a deputado federal. Divinópolis tem oito candidatos à Câmara dos Deputados, sendo eles Bruce Martins (Podemos), Arthur Dentista (PSOL), Domingos Sávio (PSDB), Fabiano Tolentino (PPS), Sargento Elton (Patriota), Marcus Fressati (PSL), Dra Heloísa Cerri (Avante) e Jorge Torquato (PSOL).

Já para deputado estadual, foram registradas 1.305 candidaturas, e Divinópolis terá nestas eleições seis candidatos. Disputarão vagas na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Cleitinho Azevedo (PPS), Eduardo Print Júnior (SD), Adair Otaviano (MDB), Dr. Rinaldo Valério (DC), Roberta Carrilho (PC Do B) e Aristides Salgado (PTB).

Gastos

O Tribunal Superior Eleitoral limitou os gastos das campanhas eleitorais deste ano e também o limite quantitativo para contratação de pessoal. De acordo com as regras estabelecidas pelo TSE, para o cargo de presidente da República o teto será de R$ 70 milhões para o primeiro turno, podendo ser acrescido em R$ 35 milhões caso haja segundo turno. Já para as campanhas de deputado federal, o limite é R$ 2,5 milhões e, para deputado estadual ou distrital, o teto é de R$ 1 milhão.

No caso das campanhas a governadores e senadores, o limite de gastos varia de acordo com o eleitorado de cada Estado. Em Minas Gerais, o teto dos candidatos ao Governo do Estado é de R$ 14 milhões, mais R$ 7 milhões em caso de segundo turno. Já para a disputa ao Senado, o limite é de R$ 4,2 milhões.

Contratação

O TSE também disponibilizou em seu portal o  limite de contratações diretas ou terceirizadas de pessoal, para serviços de militância e de mobilização nas ruas, tanto para a campanha presidencial como para as de senador, deputados e governadores. O tribunal limitou a contratação de 2.227 pessoas para campanhas a presidente e senador em Belo Horizonte, município com maior eleitorado no estado; 4.454 para Governo do Estado; 1.559 para deputado federal; e 1.114 para deputado estadual.

 

 

Comentários
×