Candidato

Alguns vereadores já se posicionam como pré-candidatos a deputado estadual, mas Cleitinho quer ser federal. Já Kaboja, não perde tempo e espalha que pode ser candidato, mas que depende de grana, hoje muito difícil conseguir. Otaviano, o presidente da Câmara se diz candidato e sonha com uma dobradinha com Newton Cardoso Júnior e Print Júnior faz ensaios como estadista, se mostrando e se colocando à disposição. 

 Mas...  

...a falta de dinheiro será o grande divisor de águas para as próximas eleições. Nenhum dos vereadores pode ser considerado rico, mas alguns têm sim redutos onde podem apresentar candidatos com a finalidade de “dobrar” com um federal. Nenhum deles fala em acompanhar os atuais federais, nem mesmo Tolentino, que tenta voo solo, mas já tem os seus esquemas na região. Assim, fica difícil qualquer prognóstico. E quem pensa que os atuais deputados não se reelegerão, se enganam, pois o povo guiado pelas mídias sociais quer votar em gente diferente, que não tem ficha suja ou que já está deputado faz tempo. No entanto, faltam nomes de peso para a concorrência. Domingos e Jaime parecem certos para a reeleição, enquanto Tolentino corre risco e Cleitinho é incógnita. 

 Número cresce  

Sábado à noite, ocorreu mais um crime com aspecto de acerto de contas. Fagner Paulo Rosa de apenas 25 anos foi morto com 13 tiros no bairro Vila das Roseiras, dentro do seu carro. Ainda vivo foi transferido para a UPA onde não resistiu aos ferimentos. Embora a polícia tenha comparecido ao local e feito levantamento, terá muita dificuldade em descobrir os autores que estavam em uma moto. A vida humana cada vez vale menos em Divinópolis, enquanto a ousadia dos bandidos está sempre crescendo. Ninguém parece ter medo da impunidade e mata-se por qualquer bobagem, qualquer R$ 10 ou um ponto imaginário de drogas. Alguma coisa tem que ser mudada neste país, de forma lenta e gradual, com apoio total ao combate ao crime, dando às polícias a autoridade necessária para mudar os rumos atuais. 

 Certo ou errado?  

A gasolina está bem mais cara neste fim de ano, com aumento que supera os 40% em todo o país. Enquanto o governo anterior dava as cartas e queria angariar simpatia da classe média, proibia a Petrobras de aumentar o preço da gasolina, e com isso a petrolífera teve um prejuízo de cerca de 100 bilhões de dólares. Muito dinheiro, mas que não a quebraria não fossem os desacertos de quem estava na direção. Na época, como aconteceu com a energia elétrica, que chegou a cair de preço, todos ficamos satisfeitos e ninguém imaginava o que iria acontecer. 

 E aconteceu...  

...o maior rombo da história, tanto na Petrobras quanto na Eletrobrás, estragos estes que estamos agora pagando com juros e correção monetária. Sem contar que a maior companhia do Brasil, que era uma das cinco maiores do mundo, hoje está quase zerada, devendo muito dinheiro e leiloando campos petrolíferos promissores, perdendo capital e muito dinheiro futuro. Enquanto isso, a conta de energia já vem com tarja vermelha, que nos deixa roxos de ódio quando olhamos para os $$$$. É só responder a pergunta: o que o governo anterior fez foi certo ou errado? 

Comentários
×