Campanha reforça cuidados contra dengue, zika e chikungunya

Peças do Governo de Minas circulam entre dezembro e janeiro e enfatizam a prevenção

Da Agência Minas

om o conceito “Dengue, Zika vírus e Chikungunya – o cuidado com a saúde começa em casa”, a campanha publicitária lançada nessa segunda-feira, 21, pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG) busca somar esforços entre poder público e sociedade a fim de interromper o ciclo evolutivo do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, identificado em 97,8% dos municípios de Minas Gerais.

O objetivo é educar e conscientizar a população de que, a partir dos cuidados domésticos, começam as medidas preventivas à reprodução do mosquito transmissor das arboviroses. Atitudes simples, como limpeza de ralos, manutenção de lixeiras tampadas e a higienização com bucha de bebedouros de animais domésticos são ressaltadas na campanha.

Para o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, a campanha é importante ferramenta para o enfrentamento das arboviroses, principalmente, em tempo de pandemia, com intuito de reduzir impactos na saúde da população.

— Queremos adotar ferramentas diversas para que, combinadas, possam oferecer resultados melhores no combate aos vetores das arboviroses — afirma.

Fases

A campanha foi dividida em duas fases: a primeira está focada nas medidas preventivas, o que as pessoas podem fazer, com ações individuais e de execução simples. A segunda fase tem como estratégia divulgar à população os principais sintomas dessas doenças e os cuidados necessários para o tratamento. “Buscamos, assim, sensibilizar as pessoas sobre a necessidade de controle do vetor, no caso, o mosquito, e mostrar como elas podem colaborar para a prevenção”, explica Carlos Eduardo Amaral.

A campanha será veiculada por meio de cartazes e folders. Pela internet, nas mídias sociais da SES-MG e do Governo de Minas (Facebook, Instagram), além de peças exclusivas para WhatsApp. Também estão previstas iniciativas de mobilização, realizadas em parceria com autoridades públicas, empresas, lideranças comunitárias, grupos sociais e voluntários.

Saiba mais em www.saude.mg.gov.br/aedes e ajude a combater o mosquito. 

Cenário 

Em 2020, até o dia 10/12, Minas Gerais registrou 83.668 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue. Desse total, 57.363 casos foram confirmados para a doença. Quanto aos óbitos, foram 12 confirmados. Ainda há outros 56 em investigação.

Em relação à febre Chikungunya, foram registrados, em 2020, até o momento, 2.763 casos prováveis. Destes, 1.181 foram confirmados. Há 3 óbitos em investigação.

Já em relação à Zika, foram registrados 413 casos prováveis. Destes, 139 foram confirmados para a doença.

Como combater o Aedes

• Lixeiras sempre tampadas;

• Quintal sem lixo e entulhos, garrafas e baldes de cabeça para baixo;

• Reservatórios de água do ar-condicionado, geladeira e umidificador secos e vazios;

• Ralos limpos e com aplicação de tela;

• Não usar pratinhos que acumulam água para vasos de planta;

• Pote para água de animais limpos com bucha ou escova;

• Canaletas e calhas limpas;

• Manutenção periódica de piscinas e caixas d’água;

• Babosa e outras plantas que acumulam água em local coberto.

• Lonas bem esticadas, evitando formação de poças d’água;

• Não utilize garrafas pet com gotejador em plantas que tenham aberturas que o mosquito possa entrar para colocar ovos.

 

Comentários
×