Campanha busca intensificar doação de sangue na pandemia

Da Agência Brasil

A necessidade de isolamento social devido à pandemia de covid-19 trouxe o receio da população em manter as doações voluntárias de sangue, o que fez com que os estoques usados para pacientes que sofrem de outras doenças e precisam passar por procedimentos que dependem das transfusões de sangue caíssem significativamente, segundo apontou a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).

A associação intensifica o alerta do Junho Vermelho, mês dedicado à conscientização da importância de doação de sangue, neste contexto da pandemia.

— A população precisa ter claro que doação de sangue, tão essencial para salvar vidas, não representa nenhum risco aos doadores de sangue. Basta que se tome os cuidados gerais referentes a evitar situações de aglomerações — disse Dante Langhi, presidente da ABHH.

Ele orienta que as pessoas voluntárias interessadas em doar sangue entrem em contato com os bancos de sangue para agendamento prévio do procedimento.

— Os bancos de sangue, por sua vez, devem estar organizados neste sentido para evitar aglomerações.

Campanha de doação

Desde o início da pandemia, a ABHH está mobilizada com o objetivo de aumentar as doações de sangue. A associação firmou uma parceria com a CBF, com o apoio de outras entidades – Associação Paulista de Medicina (APM), Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), Associação Brasileira de Talassemia (Abrasta) e MTM Tecnologia – e lançou a campanha Nosso Sangue Verde e Amarelo.

Na campanha, são organizados mutirões de doação de sangue em estádios de futebol que não estão em uso neste momento. A primeira aconteceu entre nos dias 7, 8 e 9 de abril na Arena Corinthians, em Itaquera, na capital paulista, e reuniu mais de mil doadores. Uma ação mais recente, de 26 a 28 de maio, aconteceu no Allianz Parque, também em São Paulo, e teve de cerca de mil doadores.

Comentários
×