Caminhos e despedidas

Desci as escadas e reparei que o céu estava muito escuro. Com um nó na garganta me despedi de você. Não houve lágrima. Chegara a minha hora de apenas ir. Eu precisava ver você viver sem mim. E você... Ah, você certamente não precisava de mim para viver. Embora naquele instante nem você soubesse disso.

Entrei no carro e vi pelo retrovisor quando você entrou. Tive vontade de voltar, tive vontade de chamar você de novo e começar tudo outra vez. No fundo eu sabia que recomeços não significam exatamente mudanças e quem sabe a distância te faria enxergar as coisas sob um outro ângulo.

Nossas diferenças nos levaram a mundos tão distantes que juntá-los agora se tornou impossível. Sobretudo meu coração insiste em amar você. A qualquer momento e em qualquer circunstância.

No caminho, lembrei do tempo em que éramos ingênuos. Lembrei de você cuidando de mim como ninguém cuidava. Lembrei das suas pequenas mentiras para me agradar. E do quanto fomos felizes assim durante um bom tempo. Alimentados pela vontade de ver o outro feliz. O laço que nos une é o mesmo que nos deixa tão distante.

A chuva caiu com vontade e à medida que escorria na janela eu deixava ir junto a minha dor. Você sempre gostou de chuva e eu também. E enquanto as pessoas corriam da chuva eu me lembro de nós dois perdendo a pressa e deixando a chuva nos molhar. Tudo agora é motivo de lembrança. Tudo virou uma grande saudade. E eu sobrei com a dura tarefa de dar a você um novo lugar dentro de mim.

Já não quero mais que você corte o cabelo, nem tampouco pretendo fazer você gostar do meu perfume novo. Houve momentos em que eu quis mais para você do que para mim. Errei também. Atravessei na frente de expectativas que não eram minhas e me esfolei toda.

Eu sei, faz parte da sua natureza ser assim. Não sou eu que vou mudar isso. Por mais que eu consiga influenciar outras pessoas, com você nada funciona. Você vai seguir este caminho que você escolheu. Eu vou seguir o meu e cada um vai amargar as consequências das suas escolhas.

E se quiser saber de mim, eu estarei aqui, seguindo esta minha doce rotina de ser uma pessoa comum. Eu, minha saudade, a chuva e a sua foto na estante.

 

Leila Rodrigues

Comentários
×