Câmara pode economizar meio milhão em dois anos

Objetivo do atual presidente é cortar gastos para devolver ao Executivo

Da Redação

Contratos, aluguéis, lanches e até mesmo impressoras. O atual presidente da Câmara, vereador Eduardo Print Jr. (PSDB), pretende, nos próximos dois anos, aprimorar processos para reduzir os gastos do Legislativo. Segundo informou a assessoria de comunicação, as reduções previstas podem gerar uma economia de quase meio milhão de reais.

De acordo com Eduardo, todos os contratos estão sendo revisados e, caso sejam encontrados “excessos”, eles serão encerrados para abertura de nova licitação. 

— Por exemplo, a licitação de lanches realizada no ano anterior. Caso o contrato seja seguido, a Câmara gastará cerca de R$ 80 mil reais com lanches para todos os servidores e vereadores. Porém, com a revisão e uma nova licitação, a Casa gastará metade do valor — comunicou.

O presidente da Mesa Diretora detalhou a mudança.

— Sei que não é fácil cortar gastos, mas estou fazendo o possível para diminuir todos os gastos em excesso da Câmara. No lanche, por exemplo, continuaremos comprando o pão de sal, café e leite para todos os servidores, mas conseguimos diminuir os gastos drasticamente, cortando os lanches desnecessários. Com isso, há uma redução mensal e, ao final do ano, um montante significativo economizado. De R$ 80 mil abaixamos para R$ 40 mil de gastos — destacou Print.

Os galões de água, repostos mensalmente, serão substituídos por purificadores.

— Em uma conta rápida, e por alto, hoje usamos galões de água em diversos setores na Câmara Municipal, e gastamos uma média de R$ 7 mil por ano comprando água. Eliminando esse valor, poderíamos comprar, em um ano, quatro purificadores de água, ao preço de R$ 1,5 mil em média, e ainda pagaríamos menos do que é gasto hoje, sem ter mais este investimento anual — explicou.

Olho na tela

Durante as reuniões da Câmara, um painel ao fundo exibe os detalhes das votações e presença dos vereadores. Esse sistema, porém, não pertence ao Legislativo. Atualmente, são gastos cerca de R$ 60 mil em aluguéis com as telas e o sistema utilizado nas reuniões ordinárias. No entanto, com investimento único de R$ 40 a 50 mil, “a Casa eliminará este gasto com aluguel e terá um patrimônio próprio”.

— Ficaremos com o painel até o dia 1 de março e, após este tempo, faremos a implantação do nosso próprio sistema, com a compra das TVs, tablets e notebooks a serem usados no plenário, utilizando a ferramenta gratuita disponível no SAPL para registro da reunião. Esse investimento é importante, pois, somando os 4 anos de aluguéis com o telão e o sistema, a Câmara gastaria cerca de R$ 240 mil. Já levando em conta o investimento de até R$ 50 mil nos equipamentos próprios, economizaríamos cerca de R$ 190 mil — detalhou o presidente.

Papel

Há menos de um mês no cargo, Print também avaliou a necessidade de outra mudança. Em quatro anos, são gastos R$ 120 mil em cartuchos e reparos de impressoras. Para reduzir o gasto, ele determinou o aluguel das máquinas, com custo de R$ 80 mil.

— Alugar as impressoras é o melhor caminho, diante da realidade que os servidores necessitam. Fazendo pequenas economias, vamos conseguir mudar a Câmara de Divinópolis. São muitos gastos supérfluos que vamos eliminar para que possamos chegar ao final do nosso biênio satisfeitos com nosso trabalho à frente do legislativo, tendo a certeza que agimos com austeridade e justiça com o dinheiro do povo — espera o presidente.

Por fim, ele também determinou o rompimento do contrato de telefonia, responsável por 40 linhas telefônicas e internet “de baixa qualidade”.

— O contrato está sendo revisado para que o serviço possa melhorar significativamente, sem onerar a Câmara — informou.

— Estou revendo todos os contratos e analisando onde podemos economizar, até nas pequenas coisas. Hoje não temos mais carros alugados, somente quatro carros próprios para uso em rodízio dos vereadores, não possuímos nenhum tipo de benefício, como celular corporativo, auxílio paletó ou qualquer outro subsídio extra. Os vereadores possuem apenas o salário, e sou a favor de toda e qualquer economia na Casa — finalizou Eduardo.



 

 

Comentários
×