Câmara de Divinópolis altera jornada de assistentes educacionais

Ricardo Welbert

A Câmara de Divinópolis aprovou ontem, em regime de urgência, um projeto de lei que altera a jornada de trabalho dos assistentes educacionais que atuam nas escolas da rede municipal. 

O texto enviado à Câmara pelo prefeito Galileu Machado (MDB) estipula em 150 horas mensais a jornada de trabalho dos assistentes educacionais no plano de carreira, cargos e salários dos servidores da educação do Executivo.

— Esta proposição tem o objetivo de alterar a jornada de trabalho dos assistentes educacionais, a fim de adequá-la à realidade fática, segundo a dinâmica e a logística mais adequadas e producentes, especialmente voltadas ao atendimento de discentes destinatários de políticas educacionais inclusivas — explica Galileu.

Ainda segundo o prefeito, a carga horária de oito horas diárias divididas em dois turnos não acompanha o horário dos turnos escolares e, por isso, não dá aos assistentes educacionais o tempo necessário para planejar com os professores e os impede de participar de capacitações oferecidas pela Secretaria de Educação.

Repercussão 

A votação foi acompanhada de perto por alguns assistentes educacionais, que aplaudiram os 14 vereadores que votaram a favor da mudança. Um dos votos favoráveis ao texto foi da vereadora Janete Aparecida (PSD).

— O que o prefeito faz é corrigir o absurdo da carga horária de oito horas. O trabalho das assistentes educacionais vai muito além do ato de educar. Eles recebem nas escolas crianças que demandam atenção especial. Muitas são cadeirantes. Outras apresentam alto índice de agressividade e algumas vezes até agridem as assistentes, que com muita paciência, carinho e cuidado acolhem essa criança. A maior preocupação deles não é com o salário, mas sim se o aluno está se desenvolvendo e melhorando na educação e na qualidade de vida — pontuou a vereadora.

Comentários
×