Cai emplacamentos na cidade

Jorge Guimarães

Dados divulgados pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Minas Gerais (Sincodiv-MG) registram que, em Divinópolis, os números de emplacamentos sofreram queda em fevereiro na comparação com janeiro. No primeiro mês do ano foram licenciados 149 veículos leves, 16 caminhões, 90 motocicletas, 16 não identificados e 12 reboques, em um total de 283. Já fevereiro mostrou queda de 26% em relação ao mês anterior, com 109 licenciamentos de veículos leves, 15 caminhões, 72 motocicletas, sete não identificados e cinco reboques. O total de emplacamentos registrado nos dois meses foi de 258. 

Frota

Segundo dados da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Segurança Pública (Settrans), atualizados no último dia 5, circulam pelas ruas de Divinópolis cerca de 136.739 veículos, sem incluir aqueles considerados flutuantes, ou seja, que são de outras cidades e que estão de passagem pela cidade. Este número é dividido entre 75.396 veículos leves, 3.238 caminhões, 3.767 camionetas, 28.800 motocicletas, 645 ônibus, 4.219 reboques, 988 semirreboques, 1.133 utilitários, 947 tratores, 11.587 caminhonetes, 361 ciclomotores, 309 microônibus, 5.208 motonetas, dois quadriciclos, 37 side-car, 88 triciclos e outros menores.

2019

Ao longo dos 12 meses do ano passado, a cidade registrou 3.214 licenciamentos – sendo 1.900 de veículos leves, 109 caminhões, 887 motocicletas, 107 não identificados e 211 reboques. Comparado com o mesmo período de 2019, a cidade registrou um acréscimo, neste ano, de 46%, em relação aos números dos emplacamentos.          

Minas

De acordo o mesmo levantamento realizado pelo Sincodiv-MG, houve queda de 24,46% em Minas Gerais no número de emplacamentos dos segmentos de varejo de automóveis e comerciais leves, motos e caminhões –somados –, no mês de fevereiro, na comparação com janeiro de 2020.

Números inferiores

Em nota, o presidente do Sincodiv-MG, Camilo Lucian, disse que os resultados das vendas nos primeiros meses do ano são historicamente inferiores a outros períodos. A expectativa, segundo Lucian, é de uma retomada moderada nos próximos meses, com um crescimento mais consistente a partir do segundo semestre.

— Apesar do número negativo, devido à sazonalidade do período, já é possível perceber um aumento do fluxo, ainda que tímido, nas concessionárias. Acreditamos numa melhora gradual, na medida em que o ano for avançando — avaliou.

Comentários
×