Cai a participação da cesta no salário do divinopolitano

Pablo Santos

A participação da cesta básica no salário mínimo do divinopolitano diminuiu em 12 meses. De acordo com os dados apresentados pelo Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec), além de consumir menos do vencimento mensal, o tempo de trabalho para comprar os itens básicos da alimentação também caiu para o assalariado divinopolitano. 

Conforme os números divulgados pelo Nupec, a cesta básica com os 13 alimentos está cotada nos supermercados da cidade em R$ 309,56. O valor é 1,45% a mais quando se confrontado com setembro. Mesmo com a leve alta no mês passado, os itens básicos tiveram uma redução de quase 7% em relação ao salário mínimo. 

Em outubro do ano passado, os itens básicos da alimentação nos supermercados da cidade consumiam do salário mínimo 40,82%, registrando um dos maiores percentuais da história da pesquisa. A cesta básica estava cotada naquele período a R$ 359,23, conforme o Nupec. 

Já em outubro desde ano, a situação melhorou. Os itens básicos custando abaixo dos R$ 310 fez a participação dos alimentos no salário do divinopolitano ficar em 33,04%. 

— Mesmo com o aumento de outubro, em 2017, o valor da cesta acumula uma variação negativa de 8,55% e em 12 meses tem-se uma importante queda em seu valor de 13,83% — explicou o pesquisador Leandro Maia. 

 Trabalho  

Além de consumir menos do salário mínimo do trabalhador divinopolitano, o tempo de serviço também caiu em 12 meses. 

De acordo com os dados do Nupec, seriam necessárias 89 horas de tempo de trabalho para comprar os itens básicos da alimentação em outubro do ano passado. Já no mesmo intervalo de tempo deste ano, seria preciso trabalhar 72 horas. 

 Setembro  

O melhor resultado percentual para o trabalhador divinopolitano foi de setembro. Neste período, os itens básicos estavam consumindo do salário do divinopolitano 32,57% com a cesta básica valendo R$ 305,15. 

O segundo melhor desempenho foi em agosto quando o conjunto de alimentos custava R$ 308,57 e a participação do salário mínimo na cesta chegou a 32,93%.  

 

Comentários
×