Café Literário aproxima o leitor do autor

Projeto acontece uma vez ao ano em diversas escolas da cidade

Da Redação 

Café Literário é um projeto que acontece desde 2016, idealizado pela professora de língua portuguesa Paula Santos Oliveira, que trabalha na Escola Estadual Santo Tomaz de Aquino. Tem como objetivo incentivar a leitura de jovens e acontece uma vez ao ano, em diversas escolas da cidade. A professora afirma que é de suma importância que os alunos leiam sempre, que tenham o hábito de frequentar a biblioteca da escola. 

São vários escritores que passaram pelo Café Literário: 2016, Paula Pimenta, na Escola Estadual Manoel Corrêa Filho; 2017, Babi Dewet, na Ilídio da Costa Pereira; 2018, Giovanna Vaccaro, nas escolas Padre Matias Lobato, São Francisco de Paula e Ilídio da Costa Pereira; 2019, Luiza Geisler, na Santo Tomaz de Aquino; e em 2020 participaram do modo virtual os escritores Lucas Ferreira, Giovanna Vaccaro e Paula Pimenta. 

— O Café Literário é um projeto de crucial importância para a Superintendência Regional de Ensino (SRE) em Divinópolis pois, ao colocar nossos alunos em contato com escritores de renome nacional, essa iniciativa incentiva o gosto pela leitura e amplia os horizontes de nossos estudantes, que passam a reconhecer na escrita um caminho não apenas para a expressividade, mas principalmente para concretização do protagonismo juvenil — define a superintendente de Ensino, Luiza Amélia Coimbra. 

Paula Santos diz se sentir realizada com o projeto e tem o prazer em fazê-lo. Ressalta ainda que, com o trabalho, mostrou o quanto a leitura é importante e que é necessário que todos leiam sempre. Durante os encontros com os escritores, os alunos ouvem e fazem perguntas ao convidado. 

— O Café Literário surgiu como uma proposta encantadora e única que aproxima o leitor do autor da obra. Esta concretização do estudo da obra com a proximidade do autor emociona a todos e desperta o interesse pela leitura nos alunos em grande escala — diz a professora. 

Sucesso

O projeto já é sucesso no meio educacional da cidade e vem ganhando o apoio de todas as escolas.

— A iniciativa da professora Paula é voltada para o que é de mais necessário nos dias de hoje: leitura e cultura. O desenvolvimento em nossa escola foi maravilhoso e com isso podemos ver e sentir através dos olhares o gosto das descobertas por meio da leitura. É puramente um projeto necessário e bem-vindo — avalia a diretora da Escola Estadual Ilídio da Costa Pereira, Aélida Chagas.

O Café Literário agregou, conforme a diretora da São Francisco de Paula, Eliane Reis, mais adeptos aos livros e o encanto de um novo mundo aberto aos alunos, mostrando a necessidade de haver espaços de difusão e produção da literatura no ambiente escolar.

—  A atividade mostrou aos alunos e também aos demais membros da comunidade escolar a importância de envolver-se com o universo literário e de promover avanço em sua constituição subjetiva, já que os livros ajudam a formar o ser humano — disse Eliane Reis. 

O projeto também faz sucesso entre os alunos. 

— Paula Oliveira iniciou o Café Literário com muito empenho, tudo foi bem planejado antes mesmo da data certa. Foi divertido acompanhar tudo e conseguir ter a chance de participar. Desde o início, todo o trabalho da professora na escola Santo Tomaz de Aquino foi adquirido por muitos elogios de professores, profissionais e alunos. Chamou a atenção até dos moradores ao redor e das outras escolas vizinhas  — avaliou a aluna da Escola Estadual Santo Tomaz de Aquino, Kawany Máximo.

Comentários
×