Caem os índices de criminalidade em Minas Gerais e Divinópolis

Forças de seguranças creditam reduções ao aumento de operações e ações policiais

Matheus Augusto

Divinópolis registrou, até ontem, 40 assassinatos em 2019. O número representa uma queda significativa quando comparado com o mesmo período do ano passado, em que a Polícia Civil (PC) contabilizou 54 homicídios. As estatísticas do órgão também apontam uma redução nos roubos e furtos. O Agora ouviu as lideranças de segurança na cidade para entender as razões da queda.

Polícia Civil

Segundo o delegado regional da Polícia Civil, Leonardo Pio, as estáticas de criminalidade, assim como em Minas Gerais, têm apresentado queda.

— A tendência de redução no Estado foi seguida por Divinópolis e toda a área da Delegacia Regional da Polícia Civil. Registramos hoje diminuição em Divinópolis de 30,8% no número de homicídios e 27% nos roubos — explicou.

Polícia Militar

O Agora conversou também com o comandante do 23° Batalhão da Polícia Militar em Divinópolis, tenente-coronel Rodrigo Coimbra. Segundo ele, a redução dos índices de criminalidade na cidade é resultado de uma série de ações desenvolvidas pela corporação.

— A gente credita as reduções às várias ações e operações e atividade da Polícia Militar, e também de alguns programas. Um desses fatores é a setorização do policiamento na cidade. O município foi dividido em setores, e cada um agora tem seu comandante de pelotão, que é um tenente. Basicamente, em cada setor foi alocada uma base de segurança comunitária. Essa ação também ajuda no policiamento preventivo e para a localização mais fácil da Polícia Militar pela comunidade — explica.

O comandante ainda ressaltou que a Polícia Militar aumentou a presença em pontos estratégicos da cidade.

— Outra questão é o aumento das nossas operações e ações aqui na cidade. Um dos destaques é a operação ‘7ª Região Mais Segura’, além de outras que realizamos. Outro fator foi a instalação, aqui na cidade, de um programa novo da Polícia Militar, de aumento da visibilidade das guarnições policiais. Então, as viaturas estão fazendo o patrulhamento sempre com o giroflex ligado, mantendo a ostensividade do nosso policiamento e as sirenes ligadas em pontos base nos locais mais problemáticos da cidade. Com isso, a Polícia está mais visível para a comunidade, aumentando a sensação de segurança e resultando na diminuição dos crimes — contou.

Rodrigo Coimbra destacou também que, através do governo estadual, todas as viaturas foram trocadas.

— Outro ponto positivo foi a troca de todas as viaturas da cidade. Elas são terceirizadas, então, de setembro para outubro, todas foram trocadas. Nós já estamos rodando com as novas e não temos mais viaturas ‘baixadas’. Esse é um programa do governo do Estado de manutenção da frota para que seja prestado um serviço ainda melhor para a comunidade — detalhou.

O tenente-coronel também citou o programa “Smart190” que, através de uma Central de Operações, auxilia no controle das viaturas e facilita a chegada dos policiais nos locais de ocorrência. Ele aponta ainda que os militares têm realizado um trabalho intenso após o registro de uma ocorrência.

— [Temos também] as nossas ações de repressão imediata quando acontece algum tipo de crime, seja ele um roubo a mão armada ou mesmo um homicídio. Então, a presença da Polícia Militar nas ruas, nessa repressão imediata, é um fator preventivo que inibe o infrator de cometer novos delitos — destaca Rodrigo.

Por fim, o comandante do 23° Batalhão também explica que outra razão que contribui para a redução da criminalidade em Divinópolis é o lançamento e a retomada de programas.

— Neste ano tivemos o lançamento da Patrulha de Trânsito, que aumentou a ostensividade da Polícia Militar, basicamente na área Central de Divinópolis. Tivemos também a patrulha de prevenção à violência doméstica e o relançamento da patrulha escolar na cidade. Isso aumentou o número de policiais militares nas ruas, elevando a sensação de segurança e possibilitando a redução dos crimes — pontuou.

Homicídios

O número de assassinatos na cidade aumentou no último sábado, 12, quando um homem de 18 anos morreu após ser alvejado no bairro Padre Eustáquio. A vítima chegou ainda com vida, porém em estado gravíssimo, na Sala Vermelha do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). No entanto, ele sofreu paradas cardiorrespiratórias e não resistiu.

Estado

Os números de criminalidade nos 853 municípios mineiros foram divulgados nesta segunda-feira, 14, pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Ao todo, foram monitorados 12 crimes durante os nove primeiros meses do ano: homicídio tentado e consumado, roubo, estupro e estupro de vulnerável tentado e consumado, sequestro e cárcere privado, extorsão mediante sequestro, além de furto, extorsão e lesão corporal.

Durante o anúncio, o comandante-geral da PM, coronel Giovanne Gomes da Silva, disse que a redução dos índices de criminalidade em todo o estado se deve à integração dos órgãos e à atuação em conjunto.

— Por meio do Programa Minas Segura, a Polícia Militar estabeleceu uma política de maior visibilidade do aparato policial militar em todos os 853 municípios do Estado, realizando operações pontuais e, também, uma política na qual as viaturas são postadas em locais e horários específicos, após uma eficiente análise criminal e com critérios científicos — explica o comandante.

O chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, delegado-geral Wagner Pinto, também destacou a atuação conjunta dos órgãos de segurança no combate ao crime.

— A cooperação entre as forças de segurança tem feito toda a diferença na redução dos índices de crimes violentos. No âmbito da Polícia Civil, destaco o trabalho qualificado de investigação, que tem resultado nas várias operações de cumprimentos de mandados, retirando da sociedade o criminoso. Tudo isso, resultado de um esforço que busca a cooperação e integração com as demais forças de segurança — afirmou.

Comentários
×