Bruno Godoi produz filme na região

Welber Tonhá e Silva

Com uma produção inteira de Divinópolis, o escritor Bruno Godoi grava as cenas de seu filme. Escrito, produzido e dirigido por ele, a película tem uma pegada de valorização da  mão de obra da região e utiliza uma linha que classifica como “cinema verde", aproveitando materiais reciclados em toda a parte cenográfica. O figurino vem de brechós e roupas doadas. Uma saída inteligente.

Sobre o que a história fala?

Sobreviventes numa terra modificada por um evento global. Ar, água e terra estão impróprios para o ser humano. A natureza está “matando” apenas os humanos; plantas e animais vivem normalmente. Os sobreviventes humanos estão lutando contra o tempo para encontrar a cura para essa modificação ambiental e restaurar o ar, a água e a terra, antes que os últimos sobreviventes morram. 

Sobre quem é a história?

Rafaela, uma trabalhadora de um centro de pesquisa vegetal chamado Rua 8. Rafaela é perita em eletrônica, reparos elétricos e plantio de vegetação e carrega dentro de uma maleta a única cura para o planeta. 

Onde a história se passa? 

Numa região que poderia ser qualquer parte do planeta, desde que tenha campos verdes, lagos, estradas de terra e edificações abandonadas. 

Qual a problemática?

O ar está rarefeito para o pulmão humano, o oxigênio baixíssimo, fazendo os sobreviventes usarem respiradores (cateter) ligados a cilindros portáteis de oxigênio. A água está radioativa para o organismo humano, demandando uma filtragem prévia para que as pessoas possam utilizá-la. Em alguns pontos, o solo está envenenado para o contato humano, fazendo com que as pessoas tenham cuidado ao tocar o solo.

Bloco dos Caveiras no Estrela

No dia 7 de agosto será realizado um ensaio aberto do Bloco dos Caveiras para sócios na sede urbana do Estrela do Oeste Clube, a partir das 15h. Serão seguidos os protocolos determinados pelo Minas Consciente e pela Prefeitura de Divinópolis, como o uso de máscara e o distanciamento social. Com a onda amarela, existirá um limite de acesso e o clube está providenciando um meio de organizar a entrada dentro das normas exigidas. Se a onda mudar para verde, a situação já melhora, diminuindo as restrições. 

Livro da semana 

Em maio de 1980, na cidade sul-coreana Gwangju, o exército reprimiu um levante estudantil, causando milhares de mortes. O evento de trágicas consequências foi transfigurado nesta ficção extraordinária, poética, violenta e repleta de humanidade, no livro “Atos Humanos” de Han Kang. Construindo um mosaico de vozes e pontos de vista daqueles que foram afetados, “Atos Humanos” é a demonstração dos poderosos recursos literários de Han Kang, uma das autoras mais importantes da cena contemporânea. Indicação da @boutiquedolivro 

 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para welbertonha@gmail.com

Welber Tonhá e Silva 

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×