Brumadinho

Em Divinópolis, a tragédia de Brumadinho teve um impacto significativo para a vereadora Janete Aparecida (PSD). Ela morou até os sete anos na cidade onde aconteceu o desastre. Lá mora toda a sua família por parte de pai.

Seguros

Todos os familiares de Janete estão em segurança e ela tem conversado com eles diariamente. Porém, há amigos e pessoas conhecidas que estão desaparecidas. A vereadora segue para Brumadinho nesta terça-feira, 28.

‘É crime!’

“As perdas humanas são irreparáveis. Além disso, as pessoas de fora não têm noção do impacto dessa tragédia para a cidade, já que todo o município vive em função da mineração, do turismo e, sobretudo, do próprio rio Paraopeba. Minha preocupação é que esse caso acabe como o de Mariana e que a impunidade prevaleça. Não é acidente, é crime!”, afirmou Janete à coluna.

Cobrança

A vereadora já tem cobrado de deputados uma legislação mais dura para evitar desastres como o de Brumadinho. Conversou, por exemplo, com Cleitinho Azevedo (PPS), que passa a ocupar vaga na Assembleia Legislativa neste ano. Janete pretende ir pessoalmente ao gabinete de cada deputado.

A certeza e a dúvida

Gostem ou não dele, é preciso reconhecer que o presidente Jair Bolsonaro agiu rápido e com eficiência no caso de Brumadinho. Mobilizou toda a equipe e em 24 horas estava no local da tragédia. A dúvida agora é sobre o que ele e o ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, pensavam exatamente quando falavam, até pouco tempo, sobre afrouxar a fiscalização ambiental.

Explicação

Cobrado a esclarecer sua posição, Salles deu ontem uma pista do que o governo pretende fazer. Disse que a “simplificação” da legislação valeria apenas para projetos de baixo impacto ambiental. Se a ideia já era essa mesmo, ótimo. Se foi um recuo, bom também.

Correção

A Assessoria de Comunicação do Complexo de Saúde São João de Deus divulgou nota para retificar os valores investidos pela Associação dos Amigos no hospital. Em vez de R$ 712 mil, como divulgado pela associação, o complexo afirma que são R$ 501 mil.

Detalhamento

Segundo o hospital, a parceria estabelecida desde 2012 entre as entidades possibilitou: a reforma do bloco cirúrgico do Complexo de Saúde São João de Deus no valor R$ 441.332,03; e a ampliação da UTI Neonatal, com um investimento de R$ 60 mil por parte da associação, “o que totaliza, por fim, ao longo de todo 2018, R$ 501.332,03”.

Ação e reação

Sutil como sempre, Cleitinho Azevedo chegou à Assembleia Legislativa “causando”. Primeiro, criou polêmica ao querer dormir no local. Agora, ao lado de outros parlamentares, despertou a ira do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais por declarações sobre a extinção de algumas TV’s públicas. Para o deputado eleito, a TV Assembleia é desnecessária.

Público x privado

O sindicato divulgou nota em que, sem citar Cleitinho, repudia as manifestações de parlamentares atacando os veículos de comunicação legislativos, como a TV Câmara (de Belo Horizonte) e a TV ALMG. “Nossa Constituição Federal consagrou o modelo de comunicação complementar entre público, estatal e privado, como uma forma de reduzir a disparidade de espaço ocupado pela comunicação comercial, ampliando o direito à comunicação no país”, destaca a entidade.

Fiscalização

Conforme prossegue o sindicato, por meio da TV Câmara e da TV ALMG, “e especialmente do trabalho de seus jornalistas e demais profissionais”, os cidadãos de Minas Gerais podem fiscalizar as atividades parlamentares, acompanhar as sessões plenárias e os debates de temas de interesse público. “O sindicato convida os vereadores de Belo Horizonte e deputados de Minas Gerais para conhecer e se juntar à luta em defesa da comunicação pública e da democratização do acesso à informação”, finaliza a entidade.

Comentários
×