Brasileirão terá emoção até a última rodada

Batendo Bola

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br 

Com cinco times brigando pelo título – o Atlético aparece em sexto lugar e ainda com chances matemáticas – o Campeonato Brasileiro nunca esteve tão concorrido como nesta temporada.

Na era dos pontos corridos, nunca houve um ano em que tantas equipes aparecessem com chances reais de conquista nesta altura do torneio, faltando menos de 30% dos jogos a serem disputados.

 Sem favoritos 

Ao longo das 27 rodadas já realizadas, a liderança mudou de mãos algumas vezes e a tendência é que o sobe e desce persista até o dia 2 de dezembro, quando será disputada a última rodada. Hoje, o Palmeiras é o líder e tem bola para seguir brigando entre os primeiros, mas daí a apontá-lo como favorito vai uma grande distância.

 Briga boa

 Hoje, a classificação mostra Palmeiras e Internacional com 53 pontos, São Paulo com 52, Grêmio com 50 e Flamengo com 49, uma diferença de apenas 4 pontos separando o líder do quinto colocado, faltando ainda 11 rodadas a serem disputadas, com 33 pontos em jogo.

 Nem o Galo está fora

 Com 45 pontos, na sexta posição na tabela, o Atlético tem chances matemáticas de título, mas isto está cada dia mais difícil. O time vai sim brigar na parte de cima da tabela até a última rodada, mas para ficar entre os quatro primeiros colocados, times com vagas asseguradas na fase de grupos da Copa Libertadores 2019.

Classificar para mais uma disputa do torneio continental, o Galo vai, resta apenas saber se terá ou não que participar da fase de pré-Libertadores, de mata-matas.

 MANGUEIRAS BRASIL

 Os erros e acertos de Mano Menezes 

Com o Cruzeiro mais uma temporada fora da briga pelas primeiras posições na tabela do Campeonato Brasileiro, no sistema de pontos corridos, o trabalho do técnico Mano Menezes à frente do elenco estrelado passa a ser questionado por grande parte da mídia e da torcida. Nem mesmo o fato de o time estrelado estar em mais uma final de Copa do Brasil e nas quartas de final da Libertadores serve de consolo para este pessoal. O que eles gostam mesmo é de criticar.

 Estilo de jogo

O que pega para esta turma, é o estilo de jogo do treinador, que vai de encontro àquilo que a torcida se acostumou a ver o time mostrar. E nisto estou até de acordo com eles.

O Cruzeiro nunca foi de amarrar o jogo e fazer poucos gols. Com toque de bola, o time sempre foi para cima de seus adversários.

Mas e daí, o que tem isto a ver agora? Desde quando a diretoria contratou o treinador todos já conheciam seu modo de enxergar o jogo. E se isso leva o time à finais e títulos não há o que contestar.

 Teimosia 

Mas, numa coisa seus críticos estão cobertos de razão. Sua teimosia e demora em enxergar que determinado jogador não serve mais para o time, joga por terra tudo de bom que ele tenha feito.

É o próprio Mano quem dá combustível aos seus críticos. Insistir com Ezequiel e Marcelo Hermes nas duas laterais é colocar lenha na fogueira e dar razão aos inimigos.

 Fred vai ser um reforço? 

Na quinta-feira o Cruzeiro recebe o Boca Juniors, da Argentina, no Mineirão, no jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores 2018 com a obrigação de vencer por três gols de diferença para ir às semifinais (2 a 0 leva o duelo para os pênaltis).

Uma dúvida segue incomodando o coração dos cruzeirenses: Fred será uma boa para a quinta-feira? Ele será realmente um reforço?

 Difícil afirmar 

O artilheiro voltou a campo apenas no domingo, jogando poucos minutos contra o Palmeiras, e não tem ritmo de jogo para uma partida decisiva. Este é um lado da questão.

O outro é saber qual Fred volta a jogar agora: o artilheiro ou o jogador dos últimos jogos pelo time?

Este é o problema e ainda bem que é o Mano quem terá que decidir. E ele tem competência o suficiente para fazer o que for melhor pelo time e para o clube.

Comentários
×