Bola fora

Difícil é dizer quando políticos da Câmara Federal e do Senado acertaram uma bola no gol nos últimos anos. Aliás, se tivesse marcado pelo menos batendo um pênalti, quando se julga ser mais fácil, é que seria a novidade. Não sei o que foi mais ridículo na reunião para escolher o novo presidente da Casa: os candidatos, o voto fechado autorizado pelo digníssimo ministro Dias Toffoli, ou o “cabaré” ocorrido durante as votações de sexta e sábado. Está mais para uma “casa da mãe Joana” do que para uma casa do povo.

De goleada

O que gera questionamentos e com razão é o fato de que mesmo ganhando de goleada na véspera, por 50 votos a 2, para que os votos dos senadores fossem conhecidos pelo público, o ministro cancelou a vitória. O principal interessado em saber do resultado, que era o público, ficou a ver navios. Ou seja, quem paga os salários (gordos, diga-se de passagem) não teve acesso às jogadas. Assim, sabe se lá, se fora das quatro linhas, o jogo já não estava ganho. Para que então entrar em campo dois dias? Perda de tempo e dinheiro e um tapa na cara do torcedor (eleitor).

Gols válidos

Pelo menos, um grupo de parlamentares fez boas jogadas e marcou pontos junto aos eleitores, mesmo que seja neste quesito. Digamos que marcaram gols impedidos, mas o que importa é que foram validados.  Favoráveis ao voto aberto, se reuniram no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), antes da reunião, Simone Tebet (MDB-MS), Lasier Martins (PSD-RS), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Roberto Rocha (PSDB-MA), Major Olímpio (PSL-SP), Soraya Thronicke (PSL-MS), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Eduardo Girão (Pros-CE) e Rodrigo Cunha (PSDB-AL). Mas, foram derrubados por apitos de bastidores. Não ganharam, porém subiram na pontuação.

Jogadas trabalhadas

E não é a primeira vez que os jogadores (senadores) entram para jogar sabendo do resultado. Apesar de poucos ainda acreditarem que não é possível se comprar o árbitro, como este pequeno grupo confiou na declaração de voto, o jogo já estava ganho antes mesmo do primeiro round. Um exemplo é que, no início do mês passado, durante o recesso de fim de ano do Judiciário, Toffoli já havia derrubado decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que em dezembro atendeu a pedido do senador Lasier Martins (PSD-RS). O senador reivindicou ao Supremo o reconhecimento da votação aberta. O ministro Marco Aurélio Mello acatou, afirmando a transparência é uma exigência para o poder público. Toffoli derrubou sob argumento de que a questão precisa ser analisada no plenário. E as dúvidas sobre o lances continuam...

Placar elástico

Como se não bastassem as cartadas de mestre para a vitória de Davi Alcolumbre (DEM-AP) como novo presidente do Senado, ele é investigado em dois inquéritos no próprio Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga possíveis crimes ocorridos durante a campanha eleitoral de 2014, quando se elegeu senador. A investigação na Justiça Eleitoral já foi arquivada, mas segue em andamento no STF. Para variar, o senador nega qualquer irregularidade. A quem interessava afinal, esconder esta informação e os nomes que votaram nele não serem revelados? Resultado: Justiça e Senado 7, população 1. Sem querer fazer alusão ao resultado catastrófico da Seleção Brasileira diante da Alemanha, mas já fazendo, por lá também os jogadores são escolhidos de acordo com interesses. E que não duvidem dos resultados.

Piada futebolística

O momento de grande comoção em Minas, no Brasil e no mundo pela tragédia na barragem da Vale em Brumadinho, com 134 mortos confirmados e 190 desaparecidos, não foi suficiente para barrar a idiotice de um jogador, e o pior, atua no Estado em bem próximo à catástrofe. O sem noção, Thiago Neves, do Cruzeiro, deu conta de transformar o sofrimento de vítimas e familiares em piada futebolística. Usou em suas redes sociais uma imagem que circula em grupos de Whatsapp simulando haver uma barragem na Cidade do Galo.

O jogador fez uma relação com o rebaixamento do Atlético, em 2005, e escreveu que 'barragem que já caiu uma vez assusta moradores de Vespasiano, onde fica o CT do clube alvinegro'.  Ele deletou a mensagem depois da grande repercussão negativa e pediu desculpas, mas adiantou? Isso não diminuiu sua atitude absurda e cretina.

Comentários
×