Birra com vices

Bob Clementino 

Não sei o que acontece na relação do prefeito Galileu Machado (MDB) com seus últimos vice-prefeitos: ele se desentendeu com a sua vice dona Maria Martins, distanciou-se de Waldemar da Pamer, e agora se afasta de seu atual vice-prefeito, Rinaldo Valério (DC). Quem será o difícil nessa história?

Gasolina a R$ 2,68 é possível!

Agora, depende dos governadores! Entenda a questão: o presidente Bolsonaro (sem partido) estava sendo provocado pelos governadores para baixar o preço dos combustíveis e, então, contrapôs: “zerem o ICMS (imposto estadual) que eu zero os tributos federais sobre os combustíveis (correspondentes a 15% do preço final)”. E aí, a gasolina cairia para R$ 2,68. Só que os Estados, em penúrias financeiras, perderiam as receitas de ICMS. Quanto a Minas Gerais, o governador Zema (Novo) deixou claro que não pode, por agora, prescindir do recurso: “Sou a favor da redução de impostos. Mas não sou irresponsável. Peguei um Estado quebrado, com rombo de R$ 34,5 bilhões. Nesse momento, Minas não pode abrir mão de arrecadação. É triste, mas a realidade é essa”, declarou.

Custos detalhados

Só os tributos cobrados pelos governos estaduais (29% de ICMS) e federal (15% de CID e o PIS/Cofins) representam 44% do valor final do litro da gasolina. Dessa forma, supondo o custo médio do litro da gasolina a R$ 4,79, teríamos R$ 2,11 (44%) como resultado dos
impostos que vão parar nos caixas dos Estados e do Governo Federal. Caso fossem afastadas as tarifas, o valor do litro seria, em média, R$ 2,68. Ou, se governos federal e estadual resolvessem reduzir pelo menos a metade desses tributos, que é 22%, a gasolina
custaria R$ 3,73. Já seria bom!

Credibilidade de Cléo

Neste ano, a expectativa de Cléo Dinar, que criou e dirige o “Bloco do Cléo” no Pré-Carnaval de Divinópolis, é de que passem pela rua Pitangui 100 mil foliões. Como é possível mobilizar tanta gente assim? Simples: é a credibilidade que Cléo consegue passar para todos os foliões, ou seja, a certeza de que o evento terá conforto e segurança. Credibilidade traz confiança. Já vi muitas convocações para manifestações populares, com apelos e motes importantes, virarem
fracassos e os organizadores ficarem perplexos a perguntarem: “Onde erramos?” É que não basta ter em mãos um empolgante evento popular, se quem o comanda não passar segurança e confiabilidade. Cléo passa!

Bancada da rocha

Já na primeira reunião ordinária da Câmara deste ano, alguns edis trataram de temas polêmicos. O vereador Edsom Sousa (sem partido), que já declarou que “tem vereadores na gaiola do prefeito” sem citar quais, agora disse que lá na Casa Legislativa tem a “bancada da rocha”.  Ao falar da possibilidade de o prefeito Galileu Machado enfrentar um novo pedido de impeachment por prevaricação e renúncia de receita,  Edsom afirmou:  “esta Casa pode salvar ele (Galileu) que diz nas rodas que ninguém tira ele, que aqui (Câmara) ele tem nove votos firmes, que ele (Galileu)  chama de bancada da rocha”. Fico estupefato diante da posição dos parlamentares – que são acusados de estarem na gaiola do prefeito e agora de fazer parte da bancada da rocha – e ninguém pergunta ao Edsom quais estão na gaiola do prefeito e quais compõem a “bancada da rocha”. Seria por medo da resposta?

Em tempo

Vereador Edsom Sousa, não é do compositor Geraldo Vandré a canção que fala “a mão que toca um violão, se for preciso faz a guerra”. É de Marcos Vale, chama-se “Viola Enluarada” e é linda!

Explique, Copasa!

A data para conclusão do sistema de tratamento de esgoto do rio Itapecerica já foi adiada diversas vezes e, por isso, nem sei mais quando a empresa vai entregar esta obra. O que sei é que, pelos meus cálculos de leigo, a despoluição ainda vai demorar
uns cincos anos. Explico: a empresa está instalando os interceptores em alguns bairros ribeirinhos e terminando a estação de tratamento de esgoto no bairro Candelária, mas as construções dos interceptores nos riachos que são esgotos a céu aberto ainda não
começaram. Vou lembrar aos leitores três: córrego Flecha, do Barro e Olhos D’Água. Quanto tempo a Copasa vai levar para construir os interceptores nestes três córregos? E nos
demais? Explique Copasa, ou esta ladainha na minha coluna não vai parar.

Comentários
×