Batendo Bola!

José Carlos de Oliveira

A equipe do Brasil encerrou a noite de terça-feira dos Jogos Pan-americanos de Lima, no Peru, na segunda posição no quadro de medalhas, superando o Canadá em três ouros, sendo 27 dos brasileiros contra 24 dos canadenses. E a arrancada do Brasil aconteceu já no finalzinho da noite, com o brilho na natação.

Briga acirrada

Com os Estados Unidos disparados na primeira colocação no quadro de medalhas, a briga agora é para apontar quem ficará com a segunda colocação em Lima. Com a queda de Cuba, que durante anos brigava pelas primeiras colocações, mas hoje ocupa posições intermediárias (é apenas o 7º, com 15 ouros, de um total de 40 medalhas), a briga pela segunda posição será com Canadá e México.

México na frente

Na atualização do quadro de medalhas (às 18h38 de ontem) o Brasil mantinha a segunda posição, mas seguido pelo time do México, que ganhou dois ouros nas provas do dia e superou o Canadá. Agora, o Brasil tem 27 ouros, o México está com 25 e o Canadá vem em 4º lugar, com 24.

Natação

Ainda no início da noite de terça-feira, o Canadá ocupava o 2º posto, com 24 ouros contra 23 do Brasil, e só nas últimas provas do dia os brasileiros passaram à frente e abriram boa vantagem sobre os canadenses, com as medalhas da natação e do tênis de mesa, nas duplas com Calderano e Tsuboi. Mas foi a natação a principal responsável pela festa brasileira.

Três ouros

E foi com nadadores já veteranos que o Brasil fez bonito. A natação ficou com o ouro nos 100m peito, com João Gomes Jr., nos 200m borboleta, com Leo de Deus, e no revezamento 4 x 100m, com uma equipe formada por Breno Correia, Bruno Fratus, Marcelo Chierighini e Pedro Spajari, no hexacampeonato da modalidade em Jogos Pan-Americanos.

Mais medalhas

E durante as eliminatórias do dia de ontem (as finais aconteceram à noite, e escrevo a coluna antes) a natação brasileira se classificou para 11 finais, com chances reais de conquistarem pódios nas últimas provas do dia. 

Números

E o Brasil tem hoje chances reais de quebrar seu recorde de medalhas em Jogos Pan-Americanos, que é de 2007, com 157 medalhas, sendo 52 de ouro, na terceira posição no total, atrás de Estados Unidos (1º) e Cuba (2º). Com a natação, o judô e o atletismo, esportes onde os brasileiros sempre se deram bem, acontecendo esta semana (a última do Pan), o time Brasil tem tudo para encerrar a competição com um novo recorde de medalhas, e a segunda posição assegurada.

Hoje em segundo, os brasileiros já faturaram um total de 89 medalhas, sendo 27 de ouro, 22 de prata e 40 de bronze.

 

MANGUEIRAS BRASIL

 

Estreia vitoriosa no vôlei

Com o time masculino perdendo as semifinais, ficou com o bronze em Lima, depois de vitória sobre o Chile, cabe agora às meninas colocarem o Brasil no lugar mais alto do pódio. A estreia brasileira foi na tarde de ontem, contra o time de Porto Rico, com vitória tranquila por 3 sets a 0 e parciais de 25x16, 25x16 e 25x15.

Entre a realidade e o sonho

O São Paulo anunciou nos últimos dias a contratação de Daniel Alves e do lateral direito espanhol Juanfran, numa jogada de risco de sua diretoria. Com o orçamento do clube para este ano já estourado, tanto nas receitas quanto nas despesas, a diretoria arrisca alto para mudar o time de patamar. Em campo, os resultados podem até vir, mas que a jogada é arriscada, lá isto é.

Vendas

A aposta da diretoria é que Daniel Alves dê retorno em marketing para o tricolor, e que o clube possa arrecadar nos próximos meses a bagatela de 75 milhões de reais apenas com a venda de jogadores, isto somente para bancar os salários das estrelas do time: Daniel Alves, Juanfran, Alexandre Pato, Hernanes & Cia.

Ou consegue esta proeza, ou será mais um tiro no pé, fechando o ano no vermelho, e colocando em risco ainda maior a já debilitada saúde financeira do clube.

Para a torcida está tudo numa boa, está ótimo, mas para o clube São Paulo a aposta é para lá de arriscada.

Comentários
×