Banimento: ninguém ajuda o Brasil

CREPÚSCULO DA LEI – ANO III – CXIX

 

BANIMENTO: NINGUÉM AJUDA O BRASIL

 

Alguma pessoa dotada de plena faculdade mental, com mínimo de propensão à racionalidade e consciente dos perigos – para si, para a família e para outrem qualquer – de uma pandemia que já eliminou mais de 400 mil vidas, ainda tem paciência para ouvir notícias de incautos se aglomerando sem máscara, em prol do negacionismo e, pior, para pedir “ditadura” (!!!) e o fechamento dos STF?

Essa &#%@&%#$... já passou dos limites!

O uso espúrio das cores verde amarelo, a afronta nacional por parte desses violadores da norma (1. Não se pode aglomerar; 2. É obrigatório uso de máscara; 3. Não se pode atentar contra as instituições republicanas)  fará com que muitos se recusem a usar a castigada camisa da seleção brasileira, geralmente uniforme dos tais “cidadãos-de-bem” (mais um deles já foi denunciado por feminicídio em Minas Gerais, um ligado ao ex-governador que deu início ao golpe de 2016) e que dela fazem chiste, por um bom tempo.

Afinal, quem organiza e faz o chamamento para tais aglomerações? Quem financia? Quem paga o carro de som? Quem determina que a polícia não intervenha, não impeça as aglomerações – como deveria ser feito – e a tudo assista placidamente?

Claro que se fosse uma manifestação de servidores públicos, profissionais da saúde ou de professores (coitados!) a questão seria tratada de forma bem diferente, conforme lamentáveis episódios passados.

Será que os envolvidos em tais absurdos não poderiam fazer um mínimo de esforço – cosmovisão é pedir muito – para perceberem que estão sendo ludibriados? Não percebem os crimes que devem ser investigados em desfavor da tal família presidencial que apoiam? Não percebem a queda econômica do país em níveis trágicos? Não conferem suas próprias geladeiras? A gasolina? Os salários? O supermercado? A inflação? O desemprego? O fechamento e fuga de empresas? A violência de classes?

Será que os envolvidos não percebem que o mundo abandonou o Brasil? Não percebem que o país está banido do cenário internacional? Não percebem que nenhum líder internacional por aqui pisou nos últimos anos? Não percebem que as figuras que estão na presidência são deixadas a falar sozinhas em conferências sobre o clima por absoluta falta de moral para falar sobre o tema?

(Enquanto isso...)

 A população americana salvou-se da morte ao defenestrar pelo voto um apedeuta e optar por um presidente com discurso científico, sensato e racional. O resultado é vacinação em massa dos nacionais, os quais se encontram em franca recuperação da saúde coletiva e, principalmente, da autoestima social. Isso é “comunismo”? Acaso Joe Biden “virou comunista”? Tenha santa paciência (1)! 

Não há como ser tolerante com os intolerantes! É inaceitável que ainda existam indivíduos que caiam na conversa fiada do comunismo, sem nunca ter lido uma linha sequer sobre seu significado e, principalmente, desconhecendo as tragédias e misérias que o capitalismo (tanto mais e pior) provoca.

Além do mais, o presidente americano também está empenhado em taxar as grandes fortunas e usar boa parte da arrecadação para desenvolver um projeto similar ao “Bolsa Família”. Isso também é comunismo? Tenha santa paciência (2)!

Por aqui os bilionários certamente não admitiriam tais possibilidades, claro! Viriam eles com aquele papo “bullshit” de investimentos, de geração de empregos e blá-blá-blá!

Por aqui, também, nem mesmo os templos da cristandade, tão ávidos (avareza é um dos sete pecados capitais) em receber dízimos, se prestariam a contribuir com o “seu” dízimo. Sim, os templos e igrejas poderiam doar seu “dízimo” ao Estado em forma de impostos, afinal, é “dando que se recebe” e Deus ficaria feliz nesse repasse aos miseráveis e aflitos da terra (...).

Os bilionários patriotas do país não estão nem um pouco preocupados com a correria dos cavaleiros do apocalipse. Estão, sim, é apostando no animal mais rápido.

Afinal, até quando vai a #@&%&#@$... da espera pela vacina? E que se convenha: Esses abusos já encheram o (...)!

 

 

Comentários
×