Balança comercial atinge superávit de US$ 380 milhões

 

 

Pablo Santos  

O saldo da balança comercial - apresenta a diferença entre as exportações e importações - do Centro-Oeste cresceu 33,11% até setembro, de acordo com os dados fornecidos pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). As exportações contribuíram para o desempenho positivo do superávit. Já no Brasil, o saldo neste ano é menor em relação a 2017. 

Conforme os dados da Fiemg, a balança comercial da região atingiu a cifra US$ 380 milhões de janeiro a setembro. No mesmo período do ano passado, o superávit chegou a US$ 285 milhões, ou seja, cresceu 33,11%. 

O desempenho da balança comercial é creditado ao crescimento das exportações da região.  As vendas do Centro-Oeste para o mercado exterior atingiram US$ 532 milhões. Já no ano passado foram R$ 423 milhões. Quando se compara os dois períodos, a alta foi de 25,8%. 

As importações das empresas da região também apontaram crescimento neste ano. De acordo com a Fiemg, foram US$ 131 milhões no ano passado e, em 2018, já soma R$ 152 milhões, crescimento de 10,6%. 

Quando separa somente a indústria da região, a balança comercial apontou crescimento de 39,6% na região, ainda segundo os dados. 

 Brasil  

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 50,301 bilhões no acumulado deste ano. O valor é a diferença entre as exportações e as importações no período. 

O resultado é 16,5% inferior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando o saldo positivo da balança foi de US$ 60,266 bilhões. 

No acumulado deste ano, as exportações somaram US$ 206,217 bilhões, com média diária de US$ 954 milhões (alta de 8,7% sobre o mesmo período do ano passado). 

As importações, por sua vez, totalizaram US$ 155,916 bilhões, ou US$ 721 milhões por dia útil (aumento de 20,5% em relação ao mesmo período de 2017). 

No ano passado, a balança comercial registrou saldo positivo de US$ 67 bilhões, o melhor resultado desde 1989. 

 

 

Comentários
×