Bailarino de Cajuru entre os melhores

Jorge Guimarães

A paixão pelo balé e anos de dedicação, colocaram um bailarino de Carmo do Cajuru entre os seis melhores da América Latina e os 80 do mundo. Nathan Fernandes foi selecionado para participar do maior e melhor concurso solista do mundo, o “Prix de Lausanne”, que acontecerá na Suíça entre os dias 3 e 9 de fevereiro de 2019. Para amigos, colegas de academia e treinadores é orgulho para Divinópolis, pois ele se preparou e se dedica com muito foco há anos.

Na pré-seletiva foram escolhidos 80 bailarinos de todo o mundo, sendo somente seis da América Latina. Dentre eles, um é da argentina e cinco brasileiros. Nathan foi destaque nos concursos no país durante o ano, que ocorreram no estado de São Paulo e Minas Gerais, e agora alça voo no patamar mais almejado por todos os bailarinos do mundo.

“Prix de Lausanne”

O “Prix de Lausanne” acontece na Suíça, na cidade de Lausanne, e é o concurso mais importante e o maior de solistas, ou seja, para aqueles que dançam solos. É uma disputa entre jovens de 15 a 19 anos. A disputa acontece todos os anos e tem uma seletiva mundial. Neste ano, o Brasil sediou a pré-seletiva da América Latina.

A importância deste concurso é que ele reúne os melhores bailarinos, desta faixa etária, do mundo inteiro. No “Prix de Lausanne” também estão os “olheiros” da dança profissional, o que representa uma grande chance, para os bailarinos de conseguir se profissionalizar e seguir uma carreira brilhante.

— Este concurso é o topo, ele é o mais almejado por todos os bailarinos do mundo porque, com certeza, mesmo não ganhando uma premiação de primeiro, segundo ou terceiro, todos que lá estão conseguem um contrato de trabalho — detalha a professora e proprietária da Studio Arte e Dança Adriana Gonçalves, onde Nathan Fernandes treina e se preparou.

 Apoio

Na atual situação pela qual passa o Brasil, a preferência e até opção dos bailarinos é seguir carreira fora do País.

— Por isso o nosso interesse de levar o Nathan e de conseguir para ele todos os recursos possíveis. Este concurso abre uma brecha para meninos carentes, aí, a princípio, nós fizemos uma vaquinha on-line, e, depois, sabendo desta brecha, a gente enviou a documentação necessária para avaliação e veio a grande notícia de que o “Prix de Lausanne” vai pagar todas as despesas dele, como hospedagem, alimentação e transporte — conta Adriana.

Comentários
×