Audiência discute políticas para pessoas em situação de rua

Matheus Augusto

Os moradores em situação de rua terão suas condições discutidas na próxima semana. Uma audiência pública foi agendada para segunda-feira, 2. O encontro será na Câmara Municipal, às 19h. O intuito é debater quais mudanças podem ser feitas para aprimorar a legislação municipal de acolhimento dessas pessoas. Um projeto sobre o tema também deve ser apresentado na oportunidade.

Assustador

O presidente do Sindicato dos Contabilistas de Divinópolis e presidente do Centro Espírita Jesus de Nazaré, Sérgio Dias Bebiano, contou que têm saído às ruas para doar alimentos e agasalhos e percebido um alto número de pessoas em situação de rua.

Nós temos hoje em Divinópolis uma quantidade enorme de pessoas que estão passando por essa situação. Nós não podemos virar as costas para uma situação que ocorre todos os dias. E, a cada dia, chegam mais pessoas nessa situação. Eu acredito que, se a sociedade civil organizada se aliar aos poderes público, executivo e legislativo e às demais entidades, nós podemos minorar o sofrimento dessas pessoas. Neste dia eu estarei apresentando um grande projeto para realmente resolver toda essa situação. A gente conta com a participação de todas as pessoas para que possamos minorar o sofrimento delas— destacou.

Bebiano ainda explicou que já vem fazendo esse trabalho de auxílio, mas ainda assim é preciso dar um passo a mais.

— Eu já faço esse trabalho há muito tempo, de tentar ajudar essas pessoas. Principalmente agora no inverno, eu saio todas as noites, sete vezes por semana, por volta das 22h30, que é a hora em que eles começam a se recolher. Distribuo alimentos, roupas, agasalhos, cobertores, gêneros de primeira necessidade e higiene pessoal para essas pessoas, que realmente não têm o mínimo necessário para a sobrevivência. Então, eu posso falar com muita propriedade porque estou vivenciando isso todas as noites. As pessoas em Divinópolis não fazem a menor ideia da realidade do que está acontecendo, já que o número é assustador — ressaltou.

Para o presidente do Sindicato dos Contabilistas, é fundamental a participação e contribuição da sociedade, para que o sofrimento das pessoas em situação de rua seja minimizado.

— Então, hoje nós precisamos de nos unir porque Divinópolis tem uma quantidade muito grande de pessoas em situação de rua, vivendo de forma subumana. O convite é para a gente poder auxiliar todas elas. Eu saio às ruas todas as noites para poder ajudar essas pessoas e acredito que se nos unirmos podemos, dentro desse projeto que estou elaborando e vou apresentar na Câmara Municipal, resolver toda essa situação, trazendo um pouco mais de dignidade para essas pessoas.

Demandas

O presidente do Centro Espírita Jesus de Nazaré explicou que, atualmente, existe um limbo no amparo dessas pessoas. Segundo ele, a Casa de Acolhimento da Prefeitura possuiu capacidade para abrigar 25 pessoas, com até 59 anos. E o Benefício de Prestação Continuada (BPC) pode ser adquirido apenas após completar 65 anos. Ou seja, entre esse período, o indivíduo só consegue acolhida em locais como a Vila Vicentina e o Lar dos Idosos.

Ele ainda disse que conversou com a Secretaria de Assistência Social para a implementação de melhorias na legislação municipal sem que haja custos para a Prefeitura. Além disso, o projeto em elaboração deve abordar mudanças no período de estada de pessoas em situação de rua que não são divinopolitanas, que é atualmente de três dias.

Bebiano também contou estar estudando a viabilidade da formação de alianças para ajudar esses cidadãos. A intenção é de, por exemplo, fazer uma parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para que, uma vez acolhidas, essas pessoas possam participar de cursos profissionalizantes e voltar ao mercado de trabalho.

Por fim, ele ressaltou que, apesar das ações como as campanhas do agasalho promovidas durante o inverno, é preciso que a ajuda seja contínua.

Comentários
×