Audiência debate déficit de efetivo na segurança

Dados apontam defasagem de policiais, bombeiros e agentes prisionais e socioeducativos

Da Redação

O debate da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) começa cedo hoje. A Comissão de Segurança Pública se reúne, a partir das 9h, para debater o déficit de efetivo nas instituições que compõem o setor. O requerimento para a realização da audiência pública, aprovado ontem, é de autoria coletiva de todos os membros efetivos da comissão ‒ os deputados Sargento Rodrigues (PTB), Delegado Heli Grilo (PSL), João Leite (PSDB), João Magalhães (MDB) e Léo Portela (PL).

No documento, os parlamentares destacam que dados apresentados por gestores do Poder Executivo no último ciclo do Assembleia Fiscaliza mostram a necessidade de recomposição dos quadros das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e dos sistemas prisional e socioeducativo.

Os quadros 

Em relação aos agentes penitenciários, são previstos em lei 17.655 cargos, enquanto o efetivo atual é de 16.514 profissionais. O sistema socioeducativo deveria funcionar com 2.458 agentes, mas hoje o Estado conta com apenas 1.901.

Na Polícia Civil, o déficit de pessoal é superior a 40%, cenário semelhante ao da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

Além disso, ressaltam os deputados, a comissão recebe com frequência demandas para nomeação de candidatos aprovados em processos seletivos simplificados, bem como para realização de novos concursos.

Convidados 

Foram convidados a participar da audiência o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, general Mario Araujo, os comandantes da PM, coronel Rodrigo Rodrigues, e da Polícia Civil, delegado Wagner Souza, a diretora de Recursos Humanos do Corpo de Bombeiros, coronel Kênia Freitas, e representantes de entidades ligadas às categorias da segurança pública. (Com informações da ALMG.)

 

Comentários
×