Atuação histórica e economia: os primeiros cem dias na Câmara

Print Jr. destaca esforços para conduzir enfrentamento à pandemia e cortar gastos no Legislativo

Matheus Augusto 

Renovadas, Prefeitura e Câmara apresentaram, neste ano, composições renovadas. O prefeito Galileu Machado (MDB) deu lugar a Gleidson Azevedo (PSC) e dos 17 vereadores da legislatura passada, apenas seis foram reeleitos. No Legislativo, Eduardo Print Júnior (PSDB), líder da base do último governo, foi escolhido pelos parlamentares como o novo presidente da casa - até o fim deste ano. Seus primeiros 100 dias de governo envolvem medidas para reduzir os custos  na  Câmara, colocar projetos em votação e, diante do agravamento da pandemia, manter as portas abertas.

Fazem parte da Mesa Diretora, o vice-presidente, Roger Viegas (Republicanos), o 1º secretário, Zé Braz (PV), e o segundo secretário, Israel da Farmácia (PDT).

Cortes

Conforme anunciado pelo poder legislativo, diversas medidas foram adotadas com o intuito de minimizar os gastos. Já são esperados cerca de R$ 287 mil em economia, com cortes de lanche, troca de painéis de votação e outros.

— Essas mudanças já foram feitas logo nos primeiros meses de mandato. A expectativa da mesa é que mais cortes sejam realizados ao longo do ano, de acordo com estudos e levantamentos — informou a Casa.

Para Print, esse é um dos pontos positivos já alcançados a curto prazo. Segundo ele, a Câmara “vem realizando um excelente trabalho” e, por isso, parabeniza todos os vereadores, “sem exceção”. Como bom exemplo, ele citou os 63 projetos apresentados até o momento, “o recorde da década”.

— Preparamos uma grande economia para ser feita na Câmara, porém tem algumas coisas engessadas, pois não estamos funcionando 100% e preciso saber até qual ponto essa economia com a Câmara funcionando em sua totalidade. Estamos com 100 dias de governo e apenas dez em onda verde — afirmou.

Quando assumi a presidência da Câmara, Divinópolis estava fechada em razão da onda vermelha. Hoje, 100 dias depois, o cenário, já grave, piorou. Por isso, explica o vereador, um dos objetivos da atual legislatura são ações voltadas ao combate da pandemia em parceria com o Executivo.

— A equipe do Gleidson [PSC] ouve muito a Câmara, com o intuito de levar e receber projetos de lei para beneficiar a população — destacou.

Como presidente, ele diz prezar por votar os projetos mais urgentes com agilidade para rápida implementação da administração. 

Atuação histórica

O atual presidente da Mesa Diretora considera o trabalho da atual legislatura um dos mais importantes da história. Print destaca que, os projetos aprovados e o conhecimento adquirido e aplicado, servirá como base de consulta para futuros enfrentamentos de situações similares.

— Os futuros vereadores poderão pegar os arquivos e ver os erros e acertos de Divinópolis na última pandemia — comentou.

Eduardo ainda reforçou a importância dos cuidados básicos de prevenção à covid-19.

— Ninguém é mais que ninguém. Não tem dinheiro no mundo que compre um leito. Estamos chegando em um momento em que, em Divinópolis, não se compra nem o túmulo, nem a cova. O cemitério de Ermida, por exemplo, já não tem mais condições de abrir covas — alertou.

Público

Diante da presença reduzida de público em razão da pandemia, ele orienta à população a acompanhar a reunião pelas redes sociais e, caso necessário, agendar visita a gabinetes para expor sua demanda. 

Print lamentou por, até o momento, ainda não ter condições de colocar alguns projetos em prática, especialmente da Escola do Legislativo.

Outras propostas da atual gestão é entregar cerca de 60 mil carteiras de identidade perdidas à Polícia Civil para incineração. Os documentos perdidos nos últimos dois anos permanecerão guardados para eventual procura. As carteiras de trabalho, contabilizadas em mais de 14 mil, também continuarão arquivadas na Casa.

 

Comentários
×