Ato simbólico encerra campanha de combate à violência contra mulher

Cerimônia ocorreu na Cruz de Todos os Povos; primeiros meses do ano já registraram 283 casos em Divinópolis

Bruno Bueno

Um ato simbólico encerrou a campanha “Segurança Para a Mulher Todos os Dias”, na tarde de ontem, em Divinópolis. A ação, promovida pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), ocorria desde o começo do mês e visa combater a violência doméstica contra mulheres na região. O ato de encerramento foi realizado no local onde está sendo construída a Cruz de Todos os Povos.

— O local, que fica perto de uma área de preservação permanente, simboliza a integração e a paz entre os povos. As participantes soltaram bexigas biodegradáveis com sementes de ipê — explicou a assessoria de comunicação da PCMG.

Falas

A delegada especializada em Orientação e Proteção à Família, Maria Gorete Rios, explicou, em vídeo divulgado, o motivo do ato simbólico. 

— A ideia de soltar os balões remete ao direito de liberdade da mulher em poder controlar o seu próprio destino. Já as sementes simbolizam a vida, pois, assim como a mulher gera um filho por nove meses, a mãe terra também irá germinar essas sementes, transformando-as em árvores que vão melhorar o nosso meio ambiente — afirmou.

O delegado regional em Divinópolis, Cleovaldo Marcos Pereira, comentou sobre as ações que estão sendo realizadas no combate desses crimes.

— Reforçamos o nosso compromisso com ações qualificadas de repressão a crimes dessa natureza na nossa região. Para isso, contamos com uma equipe capacitada para o atendimento e acolhimento das vítimas que procuram a nossa unidade — disse.

Números

Os números de violências domésticas são alarmantes. Somente no mês passado, segundo dados da Polícia Civil de  Minas Gerais (PCMG), 125 casos foram registrados apenas em Divinópolis. Em janeiro, foram 158 ocorrências. 

Denúncias

Na cerimônia, a PCMG destacou a importância de se denunciar os casos de violência doméstica. Os registros podem ser feitos no Disque 100 ‒ para casos com crianças, adolescentes e deficientes ‒ ou 180 ‒ casos contra mulheres. A vítima ainda pode procurar a unidade policial mais próxima.

As ocorrências também podem ser registradas pela Delegacia Virtual, por meio do site www.delegaciavirtual.sids.mg.gov.br. A plataforma é válida para casos de ameaça, lesão corporal e vias de fato, além de descumprimento de medida protetiva. 

 

 

Comentários
×