Atlético junta os “cacos”

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira  

jcqueroviver@hotmail.com.br 

 

Com três derrotas consecutivas no Horto e a eliminação precoce na Copa do Brasil, o fim de semana é de turbulência para os lados da Cidade do Galo. De parte da comissão técnica e dos jogadores, o momento é para reflexão, ver onde estão errando, e tentar juntar os cacos, enquanto ainda há tempo. 

Agora, no que compete à diretoria, não vai ter refresco. Vai chover pedras de todos os lados e o presidente Daniel Nepomuceno não terá nem como reclamar. Afinal, foi ele que criou o “monstro” que aí está. Então, que trate de se deitar com ele para colocar os pratos a limpo. O que não pode é ficar como está. 

Casa do Galo agora é o Mineirão 

 Como o “caiu no Horto ta morto” já faz parte da história, com o Galo não metendo medo a mais ninguém jogando na Arena Independência, a primeira medida anunciada pela diretoria foi a mudança de alguns mandos de campo. O duelo contra o Corinthians já é certo no Mineirão. E contra o Flamengo também deve acontecer no Gigante da Pampulha. 

É o sinal dos tempos, com o Galo jogando com o que tem para sair do buraco em que se meteu. Medida mais do que acertada. E tem mais, jogar no Mineirão pode ser a redenção do Galo, em todos os sentidos. 

Uma pergunta que não quer calar 

Agora, com a magia do Horto indo para o buraco e o Atlético já pensando em se mandar de lá, a pergunta que fica é: como ficará a Arena Independência? Depois dos milhões de reais que foram investidos pelo poder público para sua reforma, será mais um “elefante branco”, uma conta da aventura brasileira para realizar a Copa do Mundo, que ficará para o povo (muitos que não estão nem aí para o futebol) pagar. Isto é Brasil.    

 MANGUEIRAS BRASIL 

Um gol que vale milhões 

Não poderia ter sido melhor para o lateral esquerdo do Cruzeiro, Diogo Barbosa, a repercussão de seu primeiro gol com a camisa da Raposa. Nem mesmo ele esperava que fosse para tanto. Mas motivos para ele – e também o para clube – festejarem existem, e muitos, pelo gol da igualdade frente ao Porco. 

Para o jogador, o gol veio em um momento único, e ficará eternizado na história do clube, e na memória do torcedor celeste. E não é para menos. Foi o tento de empate num duelo contra o Palmeiras, numa fase decisiva de um torneio nacional. Poderia Diogo Barbosa pedir ou querer mais que isso? Acho que não. 

Agora, para o Cruzeiro são inúmeros os motivos para todos na Toca da Raposa estar festejando. O empate manteve o time azul vivo na Copa do Brasil, com chances reais de chegar à sua quinta conquista do torneio nacional. Como todos sabem que para o Brasileiro é praticamente impossível o Cruzeiro sonhar com a taça, e a Copa Primeira Liga poucos dão valor, é na Copa do Brasil a única e real chance de os celestes virem a festejar alguma conquista ainda em 2017, num ano em que o time está devendo e muito a seu torcedor. 

E há também o lado financeiro. Com a participação assegurada na semifinal da Copa do Brasil, o Cruzeiro terá direito a R$ 1,5 milhão, e chegando à final mais dois milhões de reais. Um dinheiro que vai ajudar o clube a fechar o balanço de final de ano. 

 Uma overdose de duelos contra o Grêmio  

E a China Azul pode ir se preparando para uma overdose de duelos contra o Grêmio. A exemplo do que aconteceu na década de 90, entre Cruzeiro e Palmeiras, a Raposa fará várias partidas decisivas contra o tricolor gaúcho, nos próximos dias e meses. 

Somente para agosto, serão três jogos valendo vaga em uma final. Na Copa Primeira Liga, os dois times se enfrentam dia 29 ou 30, no Mineirão, decidindo qual deles irá à final do torneio regional. Na Copa do Brasil, que tem sorteio de mando de campo na segunda-feira, Grêmio e Cruzeiro jogam nos dias 16 e 23 de agosto, um jogo lá no Sul e outro aqui em Minas Gerais. 

E ainda terão que pensar também no confronto entre eles pelo returno do Campeonato Brasileiro, marcado para o dia 1º de outubro, na Arena Grêmio, em duelo válido pela 27ª rodada da competição nacional. Até chegar o dia da partida, o duelo pode até não valer nada para algum deles, mas tem tudo para ter novamente caráter de decisão, com as duas equipes jogando suas últimas fichas por melhores posições no Brasileirão. 

É emoção a perder de vista para mineiros e gaúchos... 

Comentários